Cães e gatos logo

Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Clínica e Nutrição, Destaques

Radiografias levam à precisão no tratamento odontológico

Raio-x intraoral permite avaliação de tudo o que está abaixo da linha da gengiva
Por Equipe Cães&Gatos
Por Equipe Cães&Gatos

Superficialmente, é possível que o veterinário identifique se há fraturas, gengivite, tártaro e até mesmo uma doença periodontal instalada. No entanto, ele não poderá avaliar o que existe abaixo da linha da gengiva, ou seja, as raízes, os tecidos e as estruturas ósseas que envolvem os dentes. 

Para saber se existem alterações a serem tratadas, existe o raio-x intraoral. As radiografias odontológicas são muito importantes para que o dentista veterinário tenha um diagnóstico preciso e possa estipular o tratamento adequado para a boca do seu pet. 

Não há relatos de efeitos nocivos da radiação nos pets até hoje (Foto: reprodução)

Por isso, um tratamento odontológico só é completo e eficaz se o raio-x intraoral for utilizado. Com as imagens, o profissional poderá verificar se um dente deve ser extraído ou pode ser tratado, a mobilidade dos dentes, se existe perda ou reabsorção óssea, além de possíveis inflamações, lesões e até tumores. 

Ele também ajuda a evitar procedimentos desnecessários e a prevenir o agravamento de problemas dentários que causem dor. Mas, como ele é feito? 

Por segurança, os pets precisam ser anestesiados para que as radiografias sejam feitas. Evita-se assim, que eles se mexam durante o procedimento. O cachorro ou gato é posicionado com cuidado, e um pequeno sensor de imagem é inserido dentro de sua boca, próximo aos dentes e gengivas. Esse sensor é sensível aos raios-x e capta as imagens das estruturas internas da boca. Durante o procedimento, todos os dentes são radiografados, um por um.

A dentista veterinária que atende no Pet Care, Naiá Souza, ressalta que o raio-x intraoral é feito antes, durante e após o tratamento odontológico “para ter a certeza de que tudo foi tratado corretamente e houve 100% de sucesso no procedimento”. 

E quando à exposição radiológica? Apenas apenas uma pequena quantidade de radiação é utilizada para realizar o raio-x intraoral, não havendo relatos de efeitos nocivos da radiação nos pets até hoje. De qualquer forma, é recomendado que os pets e veterinários utilizem aventais de chumbo e outros equipamentos de proteção para minimizar a exposição à radiação, assim como nos exames realizados em seres humanos.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães e Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Pesquisador da Fiocruz indica cuidados clássicos contra a leishmaniose

Cães com marcas faciais menos complexas são mais expressivos na comunicação

CFMV E MMA se alinham para criação de programa de manejo populacional de cães e gatos

Compartilhe este artigo agora no