in

RJ constrói viaduto para reduzir o número de acidentes envolvendo animais silvestres

A iniciativa visa preservar as espécies que vivem no local e, principalmente, os micos-leões-dourados

A fim de proteger a vida animal de micos-leões-dourados, a prefeitura do Rio de Janeiro desenvolveu um novo projeto em uma das rodovias do Estado que tem ajudado na preservação desses bichos.

Como o Rio de Janeiro é o único lugar do mundo onde essa espécie ainda existe na natureza, o governo resolveu construir um viaduto para reduzir o número de acidentes. Segundo informações divulgadas no portal G1, são cerca de 2,5 mil animais espalhados por oito municípios fluminenses. Eles vivem isolados em grupos e não se comunicam, além disso, se refugiam em ilhas verdes, cercadas principalmente de pastagens, dessa forma, o mico-leão se torna mais vulnerável. 

A reprodução da espécie fica restrita aos animais que vivem próximos, com pouca variedade genética. Um dos maiores obstáculos para a livre circulação dos bichos era uma estrada federal, a BR-101. 

Em agosto de 2020, o Jornal Nacional mostrou a construção do primeiro viaduto coberto de vegetação numa rodovia federal. Além dessa estrutura, foram instaladas outras 17 passagens subterrâneas e dez passarelas menores sobre as pistas ligando os dois lados da estrada – uma exigência do órgão ambiental para a concessionária que opera a rodovia. Um investimento de aproximadamente R$50 milhões que já está dando resultado.

Já foram avistados os primeiros micos-leões-dourados fazendo a travessia e não estavam sós. Na mesma passarela, foram filmados saguis, cuícas e ouriços-cacheiros. O coordenador de Meio Ambiente da Arteris Fluminense, Marcello Guerreiro, explica que “esse corredor significa a continuidade do céu da floresta, permitindo que os animais que antes estavam separados possam agora cruzar entre si e aumentar a variabilidade genética da população desses indivíduos na paisagem”.

Um ano e sete meses depois da construção do viaduto e do plantio das primeiras de mudas de árvores, a vegetação no local ainda não cresceu o suficiente para garantir segurança à travessia dos micos-leões-dourados. Ainda assim, do jeito que a estrutura se encontra no momento, é intensa a movimentação de animais silvestres nos dois lados da rodovia BR-101.

“É possível ter rodovias, ferrovias e linhas de transmissão, mas é possível também que elas tenham preocupação com a biodiversidade e, por isso, que essas estruturas são tão importantes para o planejamento futuro”, diz o secretário-executivo da Associação Mico-Leão-Dourado, Luís Paulo Ferraz.

Para a concessionária responsável pela rodovia, os resultados beneficiam também os motoristas. “A gente percebeu uma redução bastante substancial com relação a índices de atropelamentos de indivíduos da fauna local e índices de acidentes viários também. Então, a estrutura começa a se mostrar eficaz também para a segurança viária”, afirma o diretor de Operações da Arteris Fluminense, Álisson Freire.

RJ constrói viaduto para reduzir os números de acidentes envolvendo animais silvestres
Foram instaladas outras 17 passagens subterrâneas e dez passarelas menores sobre as pistas ligando os dois lados da estrada (foto: reprodução)

Fonte: G1, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Médica-veterinária recebe honraria pelos trabalhos voltados à proteção animal

Veterinária que cuida e pesquisa serpentes comenta suas principais realizações profissionais

Apesar de decreto estadual, CRMV-SP recomenda uso de máscaras em clínicas veterinárias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1º de abril royal canin

Royal Canin preparou uma lista de mitos e verdades sobre os pets no Dia da Mentira

doença renal

Orientações de veterinários alertam sobre cuidados com os rins dos animais de estimação