in

Saúde pet: chegada do outono exige atenção redobrada dos tutores

Consultas veterinárias aumentam em 30% neste período do ano

Caracterizado por dias mais curtos, com temperaturas frias e ar mais seco, o outono exige maior atenção à saúde dos pets. Durante a estação, procura por consultas veterinárias tendem a aumentar em 30%, sendo os casos mais comuns problemas respiratórios, oftálmicos e articulares.

Por isso, a médica-veterinária e analista de desenvolvimento de conteúdo da Special Dog Company, Kelly Maiara Lopes Carreiro, oferta algumas dicas que podem auxiliar os tutores neste período, como se atentar aos olhos dos pets.

“Ressecamento e irritação da mucosa ocular são os registros mais comuns da estação. Faça sempre a limpeza dos olhos dos pets com água limpa ou solução fisiológica. É importante ficar atento a qualquer alteração para que o animal não venha a ter uma conjuntivite”, pontua.

Outro problema muito comum são as dores nas articulações. “Os animais seniores ou acometidos por problemas osteoarticulares podem sentir maior sensibilidade ou desconforto no outono. Sintomas de doenças crônicas articulares, como a osteoartrose, podem surgir. Fique alerta em relação à dores nas articulações ou coluna do seu pet. Para prevenir, é importante fornecer uma alimentação rica em proteínas e com protetores articulares (condroitina, glicosamina, colágeno) em toda a vida dos pets para que não venham a sofrer com essas afecções ao envelhecer. Caso perceba alguns desses sinais, procure o médico-veterinário”, aconselha.

Além de evitar aglomerações, tomar cuidado com a gripe nesse período é essencial. “A baixa umidade é comum nesta época o que aumenta a propagação de doenças respiratórias causadas por vírus ou bactérias. As mais comuns são a traqueobronquite infecciosa canina, mais conhecida como tosse dos canis, e a rinotraqueíte infecciosa, causada pelo vírus HFV-1, que acomete os gatos. Animais filhotes e idosos são os mais afetados acompanhados dos pets com focinhos mais curtos – como é o caso dos cães da raça Pug e dos gatos Persas. Os sintomas são semelhantes aos da gripe humana, como tosse, febre, coriza, espirros e falta de apetite”, aponta a médica-veterinária.

Segundo ela, o que pode auxiliar na regressão desses problemas é o uso de inalação, orientada pelo veterinário, e cuidar da alimentação. “Para manter a imunidade alta, é necessário cuidar da alimentação e da hidratação. É importante oferecer alimentação de qualidade, rica em nutrientes, que ajude a mantê-los saudáveis.  Nos dias frios, os animais tendem a diminuir a ingestão de água. Por isso, mantenha sempre água limpa e fresca à disposição e ofereça alimentos com maior umidade, como é o caso de sachês e patês completos e balanceados, para aumentar ainda mais a ingestão hídrica dos pets’, explica.

Por fim, Kelly ressalta os cuidados com pulgas e carrapatos e a necessidade de se ter a vacinação em dia. “Essas práticas são imprescindíveis para os manter protegidos e para proteger os demais animais à sua volta”, finaliza.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Plataforma visa auxiliar veterinários de todo o mundo na questão ‘saúde mental’

Estudo defende que mau comportamento e obesidade em pets cresceram durante pandemia

Nova lei do Estado do Rio de Janeiro proíbe tatuagens em animais de estimação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Animal Planet estreia 2ª temporada de “Família ao Resgate” com novas histórias

Zoológico de San Diego aposta em vacinação de gorilas contra Covid-19