in

Setor pet brasileiro cria 2,83 milhões de empregos e ultrapassa 285 mil empresas

De acordo com levantamento do Instituto Pet Brasil, clínicas e hospitais veterinários são os estabelecimentos com maior alta percentual

O setor pet brasileiro gerou 2,83 milhões de empregos diretos e indiretos durante o ano de 2021, um aumento de 6,2% sobre o ano anterior, de acordo com levantamento do Instituto Pet Brasil (IPB), instituição que há nove anos estimula o desenvolvimento do segmento de animais de estimação no País. A pesquisa aponta, ainda, que o número de empresas ultrapassou a marca de 285 mil.

Historicamente, os criadouros de animais compreendem a maior parte dos empregos diretos e indiretos gerados no setor (2,4 milhões em 2021). Depois, vêm comércio (290 mil), serviços veterinários especializados (92 mil) e indústria (67 mil).

De 2020 para 2021, o crescimento na oferta total de vagas foi de 6,2% (em 2020, o número era perto de 2,7 milhões). A alta do comércio é destaque: passou do estoque de 257 mil empregos em 2020 para 290 mil em 2021 (alta de 12,9%, ou 33 mil postos de trabalho a mais).

Já o segmento de serviços especializados, que são as atividades que têm registro no Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), totaliza 92 mil empregos e tem como destaque as clínicas (64%), seguidas por consultórios (23%), hospitais veterinários (9%) e pet shops (4%).

Pesquisa aponta que o número de empresas relacionadas à Medicina Veterinária ultrapassou a marca de 285 mil (Foto: reprodução)

Clínicas e hospitais veterinários

A quantidade de empresas do setor pet brasileiro ultrapassou 285 mil estabelecimentos. Seis em cada dez dessas empresas (178.669, ou 62,7%) são das cadeias de distribuição, que são pontos de vendas como pet shops, consultórios, clínicas veterinárias, agrolojas e o varejo de alimentos. O restante dos estabelecimentos é composto por criadores (105.692 unidades, ou 37,8%) e indústrias (710 unidades, ou 0,2%).

O número de estabelecimentos da cadeia de distribuição registrou aumento de 5,58% entre 2020 e 2021: de 169.213 para 178.669 unidades. A maior parte desses estabelecimentos está concentrada no varejo alimentar/supermercados, em um total de 92.722 no País (ou 51,6% do total). Depois vêm os pet shops pequenos (faturamento de até R$ 325 mil em média por mês), totalizando 38.845 pontos de venda, uma fatia de 21,6%. Em terceiro lugar, as clínicas veterinárias (32.208, ou 17,9%).

No período de um ano, a maior alta foi a de hospitais veterinários: de 928 para 1.124 no País, ou 21,12%. Em segundo lugar em crescimento vêm as clínicas veterinárias (de 26.883 para 32.208, ou 19,81%). Em terceiro lugar, com aumento de 10,52%, aparecem as agrolojas (de 2.984 para 3.298 no País).

O levantamento foi feito pelo Setor de Inteligência de Dados do IPB, que usa como fonte pesquisas da própria instituição, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e da RAIS/Caged, além de informações de entidades como Abinpet, Abrase, Aquabio, CBKC, CFB, CFMV, Cobrap e FCI.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Cães alérgicos: médica-veterinária explica como identificar e quais as opções de tratamento

Pesquisa mostra que pandemia diminuiu poder aquisitivo de tutores de pets

Cidades do ABC Paulista investem na construção de hospitais veterinários públicos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

hello kitty

Inovação: Pet Society participa da 22ª edição de concurso de embalagem, o Prêmio ABRE

azeite

Veterinárias comentam se azeite e óleo de coco são opções de gordura saudáveis para os pets