in

Tosse dos Canis: zoonose é comum em dias frios e tutor deve estar atento aos sinais

Médica-veterinária explica os cuidados necessários com essa enfermidade

Em dias de temperaturas mais amenas, assim como as pessoas tendem a ficar mais resfriadas e contrair vírus e bactérias em períodos mais frios, os pets também ficam mais vulneráveis e correm o risco de contaminação.

Embora seja pouco conhecida e falada, os cães vêm sofrendo com a tosse dos canis, também denominada Traqueobronquite Infecciosa Canina ou, ainda, gripe dos cães. A doença é causada, principalmente, pela bactéria Bordetella bronchiseptica e pelo vírus da Parainfluenza Canina, porém, pode ter sinais agravados por infecção de outras bactérias ou vírus que também acometem o aparelho respiratório do animal.

Diante desse cenário, a doutora e professora de Medicina Veterinária, da Universidade de Franca (UNIFRAN), Valeska Rodrigues, alerta que, recentemente, a enfermidade foi reconhecida como zoonose, ou seja, pode ser transmitida dos animais para humanos. “Os sinais respiratórios podem ser apresentados, principalmente, por pessoas imunossuprimidas. Outras espécies também podem apresentar a infecção, como carnívoros silvestres e alguns felinos domésticos com a imunidade deficiente”, destaca.

Segundo a veterinária, a ocorrência da tosse dos canis costuma ser sazonal, principalmente nos meses de outono e inverno, que são mais frios e secos, e favorece a instalação de agentes infecciosos no trato respiratório. Além disso, a enfermidade geralmente ocorre nos cães que convivem em mesmo ambiente, o que comprova a fácil transmissão dos agentes bacterianos ou virais envolvidos. 

“Os principais sinais clínicos são a tosse seca, de início súbito que, na maioria dos casos some em poucos dias, mesmo sem tratamento. O grande problema está em quadros complicados por infecções secundárias que podem levar a pneumonia ou broncopneumonia, e que podem ser identificados a partir de secreções ocular, nasal ou tosse produtiva”, explica a professora Valeska.  

Visando a prevenção, há uma vacina para Tosse dos Canis que minimiza os sinais respiratórios e diminui a transmissão para outros cães (Foto: reprodução)

Ainda de acordo com a veterinária, é importante a avaliação clínica para identificar o nível da doença e o melhor tratamento. “Normalmente, são indicados antitussígenos e broncodilatadores para diminuir os desconfortos dos sintomas da tosse dos canis até curar. Em casos mais graves, o veterinário poderá indicar o uso de antibióticos tópicos e mais raramente sistêmicos. Podendo ser necessário também a cultura das secreções para identificação do agente infeccioso principal ou secundário, para uma terapêutica mais específica”, discorre.

A especialista alerta, ainda, para atenção dos tutores aos sinais clínicos e, caso apresente sinais respiratórios como tosse seca, de início súbito, informar ao médico sobre a ocorrência nos animais que convive. Higienizar os objetos e manter o ambiente ventilado pode minimizar a transmissão, bem como isolar o animal. 

Visando a prevenção, há uma vacina para Tosse dos Canis que minimiza os sinais respiratórios e diminui a transmissão para outros cães. “O veterinário poderá indicar qual o melhor tipo de vacina, podendo ser aplicada por via intranasal ou injetável via subcutânea, sendo duas doses e reforço anual. Em locais com aglomeração de cães ou animais que precisam ficar em hotéis, day care e eventos de exposição, indica-se a aplicação semestral. Os anticorpos das mães passam para os filhotes pelo colostro, o que ajuda a prevenir a Tosse dos canis em filhotes lactentes”, informa a veterinária. 

Para evitar a propagação, a professora finaliza ressaltando que é fundamental a consulta periódica do animal com o médico veterinário para a orientação do paciente. “A escolha da vacina e as dicas sobre o ambiente, além da avaliação do estado geral do cão nos trará uma melhor segurança para a prevenção da Tosse dos canis, bem como orientar o melhor tratamento na época mais fria do ano”, conclui. 

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

OMS: Especialistas podem se candidatar para atuar em grupo consultivo sobre antimicrobianos

Visando bons tratos aos animais, PremieRpet lança campanha “Fita Laranja”

“Não me deixe esquecer”: veterinários explicam Síndrome da Disfunção Cognitiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CRMV-SP solicita imunização de veterinários contra a Covid-19, mas Justiça nega

Corte inadequado de asas de aves criadas como pets leva a emergências veterinárias