Cães e gatos logo

Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Marketing e Produtos

Tutores exigem atendimento diferenciado para pets

Número de pets cresce no Brasil e eles são considerados parte das famílias
Por Equipe Cães&Gatos
Pet-centric cat owner kissing bald sphynx gray cat. Petting on sofa. Petrenthood concept
Por Equipe Cães&Gatos

O Brasil já soma 168 milhões de pets e tem uma das maiores populações do mundo. Considerando que, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), são 90 milhões de domicílios brasileiros, a conta chega a quase dois animais por casa.

Os pets são considerados parte das famílias e os cuidados para eles são tão ou mais valorizados quanto às necessidades de um ente querido. Por isso, tratamentos avançados, o uso de tecnologia, inovação em clínica e cirurgia, hospitais de ponta e espaços de qualidade para os animais são essenciais para fazer a diferença no mercado.

Para atender essa crescente e exigente demanda, até mesmo cidades localizadas no interior do Estado de São Paulo sentem a necessidade de hospitais veterinários que possam oferecer toda a estrutura que os tutores buscam em especialidades, atendimento em consultas, exames e cirurgias. 

Karen Collacico Andrade, médica veterinária com mais de 15 anos de experiência, conta que percebe essa mudança de comportamento dos tutores. “Essa exigência é também um benefício para a veterinária, que está sendo elevada. Ao mesmo tempo que isso é exigido pelos tutores, também faz com que nós profissionais busquemos ser melhores, nos qualificar e oferecer um atendimento humanizado”, afirma.

Outro ponto importante desse diferencial no mercado é o bem-estar, seja dos profissionais que vão atender essas necessidades, seja dos animais. Paulo Grando, médico veterinário com mais de 25 anos no mercado, percebeu que, para alcançar essa demanda, é preciso também ter uma visão de gestão e é por isso que o local vai oferecer espaços para que os profissionais possam trabalhar plenamente. 

“Nem todo profissional consegue gerir funcionários, os custos elevados de uma estrutura física, impostos, questões jurídicas, entre outras. Com o modelo que estamos propondo, a única preocupação do médico veterinário será oferecer um atendimento de qualidade, com toda estrutura já pronta”, explica.

As práticas ambientais, sociais e de governança corporativa (ESG), também são um ponto fundamental do novo negócio, seja pela busca dos tutores por locais que têm essa visão sustentável, seja do ponto de vista da responsabilidade social. Demétrio Moreno, médico veterinário há 23 anos, explica que quando se lida com vida animal, é impossível desconectar desses valores. 

“Existe a deposição de medicamentos, de frascos, de antibióticos, então essa preocupação é até uma obrigação. Temos um protocolo de gerenciamento de resíduos de serviço de saúde, para que tudo seja descartado da melhor forma e correta”, conta.

Veterinários se uniram para criar um hospital que atenda às novas demandas dos tutores (Foto: divulgação)

Pensando neste público, estes três veterinários estão à frente do Hospital Veterinário Siriuz, que tem inauguração prevista para o 1º trimestre de 2024. O hospital conta com consultórios, exames laboratoriais e de imagem, centro cirúrgico, internação e uma estrutura completa para atender as necessidades dos médicos veterinários.

O prédio também conta com uma cisterna de cinco mil litros de água no estacionamento, que abastece todos os vasos sanitários e as torneiras da área externa; placa solar que fornece água aquecida, economizando energia elétrica e segue todos os termos relacionados à segurança contra raios.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães e Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Dia dos Animais: quais os principais cuidados que devemos ter com os pets em casa?

Tutores têm dificuldade de reconhecer sinais de estresse em cães

Estudos mostram ligação entre saúde mental e convívio com pets

Compartilhe este artigo agora no