Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Pets e Curiosidades

Veterinária recomenda alguns cuidados para garantir bem-estar dos pets durante o verão

Por Equipe Cães&Gatos
calor
Por Equipe Cães&Gatos

Quantas vezes neste ano você já reclamou do calor exacerbado que está fazendo? Essas altas temperaturas não atingem apenas nós humanos, também é preciso atenção no cuidado com os pets. Assim como as pessoas, cães e gatos também sentem a mudança na temperatura e precisam de adaptações na rotina.

A docente e médica-veterinária do curso de Medicina Veterinária, da Faculdade Anhanguera, Vanessa Lowe, explica sobre o processo dos pets nesse período. “Os cães e os gatos não transpiram como nós. Os animais possuem pouquíssimas glândulas sudoríparas pelo corpo. A maior parte delas ficam localizadas nos coxins, as almofadinhas das patas, uma região pequena e pouco desenvolvida, que não é eficiente na regulação da temperatura do corpo dos animais”, explica.

“Os cães têm como solução ficar de boca aberta, ofegantes, ato que chamamos de arfar, para dissipar a carga de calor através da língua e da mucosa oral, ajudando assim a se refrescar. É importante ressaltar que os animais com excesso de peso apresentam uma maior dificuldade de perder calor pelo acúmulo de gordura, não obstante, também possuem um comprometimento respiratório que dificulta a perda de calor, assim como cães que tem focinhos curtos, como os Shih tzu, Buldogues e Pugs, esses devem receber atenção especial nesse período do ano.”, destaca a especialista sobre o cuidado e atenção. 

Quaisquer sinais de cansaço, desconforto, mudanças no comportamento, um veterinário deve ser consultado (Foto: reprodução)

Dicas para manter a saúde e bem-estar nos dias quentes

Tosa: a primeira recomendação é sobre os cuidados com os pelos, que devem ser mantidos aparados, pois além de ajudar a refrescar, facilita o manuseio do animal na hora do banho, mas atenção, os pelos também servem como uma barreira de proteção para a pele. Existem, ainda, raças das quais não são recomendadas tosas completas, consulte um profissional;

Hidratação: além do local higienizado e arejado para consumo de água diariamente, é extremamente necessário que, durante os passeios, seja ofertada água aos animais, abundantemente. Além disso, a prática de colocar algumas pedras de gelo na água a ser consumida é muito bem-vinda, mas sem exageros;

Horários: leve seu pet para passear, mas, antes, observe os horários em que a temperatura esteja mais amena. Prefira sair antes das 9h e após às 18h. Muita atenção com pisos quentes, como o asfalto, podem queimar as patinhas do seu pet;

Conforto: evite levar e manter seu pet em lugares fechados e quentes. Locais sem ventilação serão prejudiciais para o seu animal. Permita que ele tenha acesso a superfícies frias para encostar a barriguinha;

Banhos: nesse período do ano, os banhos podem ocorrer com maior frequência. Uma vez por semana e deve-se realizar a secagem com um secador em temperatura de mínima a média;

Proteção solar: os pets possuem produtos para fotoproteção, que são específicos para uso nos animais. Priorize partes sem pelos, como barriga, focinho e orelhas. E ainda, ajudará a evitar o câncer de pele;

Pets na viagem: praias (que aceitem circulação de animais) e parques devem ser visitados apenas em horários propícios e se oferecerem local fresco e seguro. Devem conter espaços com sombras, água fresca e ventilação;

Idosos e com problemas de saúde: pets com a idade avançada e que apresentem problemas de saúde, como: de coração, respiratórios e sobrepeso, devem receber atenção redobrada. Quaisquer sinais de cansaço, desconforto, mudanças no comportamento e frequência na alimentação e ingestão de água, um médico-veterinário deve ser consultado. Mantenha-os sempre em local com boa ventilação, hidratação abundante e os pelos tosados;

Piscina e mar: o animal deve ser supervisionado durante todo o tempo caso queira ambientá-lo com a água. Já existe, no mercado pet, coletes para flutuação e não esqueça de secá-los após a saída da água;

Pulgas e carrapatos: em períodos quentes e úmidos, as pulgas e carrapatos se tornam mais comuns. O ideal, segundo a especialista, é manter as visitas periódicas ao veterinário para que o profissional prescreva o tratamento preventivo adequado e individualizado para cada animal.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Dados oficiais mostram que, nos últimos anos, várias espécies foram acometidas pela raiva

País europeu proíbe criação de Buldogue inglês e Cavalier King Charles Spaniel

Uso de cannabis medicinal na Veterinária impulsiona criação de grupo de trabalho no CRMV-SP

Compartilhe este artigo agora no