in

A partir de 2022: FMVZ-Unesp terá Curso de Especialização em Ciência dos Alimentos

Curso é uma iniciativa do Departamento de Produção Animal e Medicina Veterinária Preventiva

A Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, da Universidade Estadual Paulista (FMVZ-Unesp), câmpus de Botucatu, contará, a partir de 2022, com mais um curso de Pós-Graduação: o Curso de Especialização em Ciência dos Alimentos, organizado pelo Departamento de Produção Animal e Medicina Veterinária Preventiva da FMVZ, sob a coordenação do professor Juliano Gonçalves Pereira. 

O curso tem como público-alvo profissionais graduados em Medicina Veterinária, Zootecnia, Nutrição, Engenharia de Alimentos, Engenharia Química, Química de Alimentos, Biologia, Farmácia e de outras áreas do conhecimento, interessados em expandir seus conhecimentos em Ciência e Tecnologia de Alimentos.

Para os idealizadores do curso, essa é uma oportunidade para que profissionais interessados ou atuantes na área se especializem e recebam um título por uma das melhores universidades do Brasil.

As aulas teóricas serão ministradas a distância e as práticas condensadas em um fim de semana estendido de 2023. O curso contará com a participação de docentes qualificados nos mais variados temas da Ciência dos Alimentos.

O edital de seleção será lançado em breve. Para saber mais informações, confira a página do curso e siga a página oficial do curso no Instagram (@alimentosfmvz).

Fonte: FMVZ-Unesp, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Luto pela perda de um animal de estimação ainda é desmerecido por muitas pessoas

Câncer de pele em pets: como prevenir, tratar e saber a hora certa para a eutanásia?

CRMV-MG coíbe realização de mutirão de castração sem estrutura adequada

(Foto: reprodução)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

sencientes

Na Espanha: Animais, agora, passam a ser reconhecidos como seres sencientes

e-commerce

Profissional comenta o futuro do mercado pet e o que o setor pode esperar de 2022