in

CRMV-RJ realiza II Seminário Estadual de Educação em Medicina Veterinária

Evento reuniu mais de 50 representantes de instituições de ensino para debater temas pertinentes

O Conselho Regional de Medicina Veterinária do Rio de Janeiro (CRMV-RJ), por meio da Comissão Estadual de Educação da Medicina Veterinária, realizou, no dia 30 de junho, o II Seminário Estadual de Educação em Medicina Veterinária, no Windsor Guanabara Hotel, no Centro do Rio de Janeiro. O evento recebeu mais de 50 participantes, entre dirigentes, coordenadores e professores de Instituições de Ensino Superior (IES) públicas e privadas, além de presidentes das Comissões Estaduais de Educação da Medicina Veterinária dos CRMVs da região Sudeste e do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV).

O encontro deu continuidade às ações do Conselho e as IES por meio da Comissão Estadual de Educação e visava refletir sobre o sistema educacional da Medicina Veterinária, buscando seu aprimoramento em alto nível e disponibilizando às Instituições toda a estrutura do CRMV-RJ para esse fim.

O secretário Geral do CRMV-RJ e presidente da Comissão Estadual de Educação da Medicina Veterinária, Paulo César Amaral Ribeiro da Silva – que é professor da Faculdade de Veterinária, Departamento de Patologia e Clínica Veterinária da Universidade Federal Fluminense (UFF), deu abertura ao evento e falou sobre a importância do evento, que teve como objetivo discutir as novas Diretrizes Curriculares da Medicina Veterinária, que deverão ser implementadas até agosto deste ano.

Dentre os temas debatidos, se destaca uma mesa redonda sobre “Novas diretrizes curriculares: experiências e desafios” (Foto: divulgação)

“O evento vem a partir de uma programação de atividades que acabaram sendo interrompidas pela pandemia. Em 2009 foram publicadas as novas Diretrizes Curriculares da Medicina Veterinária com prazo para implementação até agosto deste ano. Naquela época, o primeiro seminário foi a provocação para que entendêssemos quais eram as novas diretrizes. Ao longo desse tempo elas estão sendo implementadas, estudadas e agora a fase de estabelecer a nova grade curricular baseada nas Diretrizes Curriculares, que direcionam o caminho do ensino da Medicina Veterinária e norteiam o caminho para a formação do profissional do médico-veterinário. Abrimos o seminário novamente para os coordenadores e ainda com uma novidade: a participação dos dirigentes, para que pudessem entender o que os coordenadores estavam pleiteando, porque isso demanda investimento da universidade, demanda mudanças de comportamento, mudanças de visão, mudanças na forma de ensinar, mudanças estruturais e principalmente na estrutura pedagógica, com nessa visão moderna e mais eficiente do ensino. Também participaram professores do NDE, responsáveis por assessorar a coordenação, montar e rever projeto pedagógico do curso”, declarou.

No período da manhã, o médico-veterinário Rafael Gianella Mondadori (CRMV-RS 5672), que é professor na Universidade Federal de Pelotas (UFPel); e o médico-veterinário André Vianna Martins (CRMV-RJ 3558), coordenador do Curso de Graduação em Medicina Veterinária do Centro Universitário Serra dos Órgãos (Unifeso) e membro da Comissão da Educação do CRMV-RJ, abordaram os temas “DCN: Uma reflexão sobre o sistema educacional e o mundo do trabalho – ensino por competências” e “Curricularização da extensão”, respectivamente.

Mondadori descreveu a iniciativa do CRMV-RJ como imprescindível para dar continuidade a essas discussões acerca da educação em Medicina Veterinária.

“Esse tipo de evento sendo retomado após esse período em que ficamos afastados por causa da pandemia é de extrema importância porque toda nossa educação veterinária, desde a legislação até as novas tecnologias, foram sempre capitaneadas pelo nosso sistema. Nós tínhamos um Seminário Nacional de Educação, que foi descontinuado, mas é o único fórum que a gente tem no Brasil que é promovido pelo sistema, no caso hoje pelo CRMV-RJ, para que a gente possa discutir a educação veterinária. Nós não temos outro lugar para falar de educação veterinária se não em seminários de ensino ou de educação. Neste caso aqui, o estado é um dos que tem maior número de profissionais, então tem uma importância estratégica para o país, até para servir de exemplo como estímulo para que outros regionais façam o mesmo enquanto não for retomado o nacional, que faça isso de forma estadual”, disse Mondadori.

“Esse II Seminário Estadual está sendo super importante. No primeiro discutimos as diretrizes curriculares novas e recém implantadas, que precisam ser colocadas em prática e na Proposta Pedagógica Curricular (PPC), e nesse segundo a gente reforça a questão do ensino e avaliação por competências. Também abordei os temas de curricularização da extensão, que também é necessário que esteja implantado no PPC este ano, para que no ano que vem os alunos que entrarem no curso já estejam na nova matriz contemplando os 10% de carga horária de extensão”, emendou André Vianna.

Já no período da tarde, foi montada uma mesa redonda com membros das Comissões de Educação do Sistema CFMV/CRMVs, com o tema “Novas diretrizes curriculares: experiências e desafios”, onde os presentes puderam expor suas opiniões e tirar suas dúvidas; seguido da palavra aberta aos coordenadores e membros do Núcleo Docente Estruturante (NDE).

Fonte: CRMV-RJ, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Mudanças climáticas podem interferir na Saúde Única e gerar problemas no planeta

Orgulho LGBTQIA+: Veterinário destaca experiências positivas dentro e fora da profissão

CFMV regulamenta a telemedicina veterinária e explica o que corresponde cada modalidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

boto

Estudo destaca a importância de relações cooperativas entre humanos e animais selvagens

peixe

Estudo indica que cada brasileiro joga, em média, 16 quilos de plásticos no oceano ao ano