Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Pets e Curiosidades

CRMV-RJ repudia sedação de animais durante viagens

Porta-voz comenta as diferenças entre anestesia e sedação e destaca que procedimento expõe pets a riscos desnecessários
Por Equipe Cães&Gatos
foto-sedacao
Por Equipe Cães&Gatos

O Conselho Regional de Medicina Veterinária do Rio de Janeiro (CRMV-RJ) veio a público repudiar e lamentar o posicionamento da empresa de transporte Gontijo, que, em seu site, impõe que os animais que viajam pela empresa estejam “parcialmente sedados”, independentemente da distância entre as cidades, e que seja comprovado por meio da declaração de um médico-veterinário.

O Conselho esclarece que sedação é uma forma leve de anestesia que deixa os pacientes, cães ou gatos, mais tranquilos e relaxados. Na sedação, são utilizadas medicações diferentes das utilizadas pela anestesia geral e devem ser específicas para a idade, raça, doenças que apresentam e comportamento. Por isso, é importante a avaliação de um anestesista veterinário antes de submeter o animal à sedação.

A diferença entre sedação e anestesia é que a sedação é um protocolo leve, onde, muitas vezes, o paciente fica apenas mais sonolento, enquanto a anestesia é um pouco mais profunda e normalmente é utilizada em procedimentos onde o paciente não pode se mexer. No caso da sedação, sua vantagem é fazer com que o paciente não sinta dor durante as manobras de posicionamento para exames de imagens (RX e tomografias) e é também indicada para pacientes agressivos.

Conselho defende que é importante a avaliação de um anestesista veterinário antes de submeter à sedação e não uma imposição comercial da empresa de ônibus (Foto: reprodução)

“O termo ‘parcialmente sedado’ está revestido de incongruência técnica, visto que não existe de fato esta terminologia em sua essência. Ou está sedado ou não. E a sedação contínua em viagens de longa duração, como por exemplo, Rio de Janeiro x Nordeste, pode gerar reações sistêmicas provocadas pelas drogas, de forma mais significativa e potencialmente mais perigosas. A maioria delas de natureza cardiorrespiratória. As mais comuns são: hipoventilação, hipertensão, hipotensão, hipóxia, taquicardia, bradicardia. Ou seja, o animal corre risco de vida e não é recomendado a sedação por períodos longos”, afirma o médico-veterinário Leonardo Waldstein, que é embaixador do CRMV-RJ em Niterói (RJ).

Leonardo ainda informou que na sedação são utilizadas medicações diferentes das utilizadas pela anestesia geral, e devem ser específicas para a idade, raça, doenças que apresentam e comportamento. Por isso, é importante a avaliação de um anestesista veterinário antes de submeter à sedação e não uma imposição comercial da empresa de ônibus.

Visto isso, o CRMV-RJ solicitou, por meio de um ofício enviado para a empresa Gontijo, que esta reveja este posicionamento, pois nenhum médico-veterinário pode garantir a sedação de um animal por longos períodos. Além disso, é claro, afeta o bem-estar animal, expondo-o a um risco desnecessário.

O CRMV-RJ ressalta que a empresa tem todo o direito de não querer transportar animais em seus ônibus, mas expor a saúde animal por uma implicação comercial é repudiável. Consequentemente, será protocolado uma reclamação junto à Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT), expondo a opinião do Conselho sobre o caso, solicitando medidas cabíveis.

Fonte: CRMV-RJ, adaptado pela equipe Cães e Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Interação com pets como membros da família faz bem à saúde

Obesidade em pets pode ser evitada com tratamento veterinário

Profissional repassa dicas de cuidados com os pets nos dias de calor

NewsLetter

Cadastre-se agora e receba nossos boletins e atualizações em seu email. 

Integração
Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!