Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Pets e Curiosidades

Diferenças entre cães machos e fêmeas influenciam dia a dia

É importante conhecer as distinções comportamentais, físicas e de saúde
Por Equipe Cães&Gatos
adoraveis-caes-pitbull-olhando-para-cima
Por Equipe Cães&Gatos

Escolher adotar um cachorro requer uma atenção cuidadosa com uma série de aspectos. Além do tamanho, comportamento aparente e outras características, o gênero também costuma ser um fator decisivo.

Mas, você sabe quais são as diferenças que tanto machos quanto fêmeas apresentam, para além do gênero? São distinções comportamentais, físicas e de saúde que podem influenciar a dinâmica da convivência. 

Comportamento de marcação territorial: Cachorros machos têm uma tendência natural a marcar território, levantando a perna para urinar. Esse comportamento é menos comum em fêmeas, pois elas tendem a fazer xixi de forma mais discreta. 

Contudo, conforme afirma o médico-veterinário Luiz Fernando Lucas Ferreira, esse tipo de atitude dos machos desaparece com a castração.  

White dog with a Yellow bow tie on the green grass
Cachorros machos podem ter níveis de energia mais elevados (Foto: reprodução)

Interações sociais: Cachorros machos podem ser mais dominantes e assertivos em suas interações sociais, especialmente com outros machos. 

As fêmeas, por outro lado, geralmente têm um estilo de socialização mais cooperativo e podem ser mais tolerantes com outros cães. 

Ciclo menstrual: Cachorros machos não passam por ciclos menstruais, o que elimina a preocupação com sangramento. As fêmeas, no entanto, entram no cio duas vezes por ano, podendo requerer atenção extra durante esse período. 

“Esse sangramento se dá no início do cio devido às elevadas concentrações de estrógeno. Algumas cadelas são mais discretas no sangramento, pois estão constantemente se lambendo e o fluxo é menor. Em outras, o fluxo é intenso” explica a médica-veterinária Aline Brasil. Nesse sentido, a castração também é uma opção para cessar o cio.  

Tamanho e peso: Os machos podem ser ligeiramente maiores e mais pesados do que as fêmeas da mesma raça. A presença de testosterona neles, produzida em maior quantidade durante o desenvolvimento, geralmente resulta em um crescimento mais robusto e muscular. 

Necessidade de exercício: Cachorros machos podem ter níveis de energia mais elevados e requerer mais exercícios físicos para se manterem satisfeitos. As fêmeas, por outro lado, podem ser mais moderadas em suas necessidades de exercício, embora isso também dependa da raça e do animal. 

Tendência à dominância: Alguns machos podem exibir comportamentos dominantes, o que pode exigir treinamento adicional para garantir obediência. A testosterona pode contribuir para a expressão dessas características, como a busca por liderança em interações sociais e a exibição de comportamentos territorialistas. 

Instinto protetor: Cachorros machos podem exibir um instinto protetor mais pronunciado, sendo, por vezes, mais vigilantes em relação ao território. As fêmeas também têm um forte instinto protetor, especialmente durante a gestação e no cuidado com os filhotes. 

Fonte: Donna, adaptado pela equipe Cães e Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Espirro reverso: quando é preciso procurar um veterinário?

Fumaça do cigarro afeta saúde respiratória dos pets

Médico-veterinário exerce funções estratégicas na saúde pública

NewsLetter

Cadastre-se agora e receba nossos boletins e atualizações em seu email. 

Integração
Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!