in

Divisão de Saúde Animal da Boehringer Ingelheim registra crescimento global de 6,2%

A empresa registrou vendas líquidas de 4,3 bilhões de euros em 2021, e analisando por espécies de animais, os pets representam 58% das vendas líquidas da divisão em todo o mundo

A divisão de Saúde Animal da Boehringer Ingelheim registrou vendas líquidas de 4,3 bilhões de euros em âmbito global em 2021, um crescimento de 6,2% em relação a 2020 (4,1 bilhões de euros). O antiparasitário para cães, NexGard, foi o líder, com 916 milhões de euros, e crescimento de 16,6% sobre 2020 (804 milhões de euros). Na sequência, vem o antiparasitário para cães e gatos, Frontline, com 418 milhões de euros e crescimento de 4,8% em relação ao ano anterior (406 milhões de euros). Todos os valores foram ajustados considerando efeitos cambiais e constam no relatório anual de resultados (2021) da companhia. 

gráfico
Analisando por espécies de animais, os pets representam 58% das vendas líquidas da divisão em todo mundo, com 2,5% bilhões de euros registrados. (Foto: reprodução)

Analisando por espécies de animais, os Pets representam 58% das vendas líquidas da divisão em todo o mundo, com 2,5 bilhões de euros registrados. Na sequência, temos 34% de vendas para animais de produção (ruminantes, aves e suínos), com 1,5 bilhão de euros, e 6% em medicamentos voltados para a saúde dos equinos, equivalente a 256 milhões de euros. Os outros 2%, ou seja, 65 milhões de euros, representam vendas relacionadas à área de Saúde Pública Veterinária. 

 Investimentos em Pesquisa & Desenvolvimento 

Em 2021, a divisão de Saúde Animal da Boehringer Ingelheim investiu 416 milhões de euros em P&D, um dos maiores investimentos nessa área em toda a indústria do segmento. A estratégia é baseada em três áreas: 

Em doenças infecciosas, para detectar e prevenir a propagação de enfermidades transfronteiriças e emergentes, além de desenvolver novas tecnologias de vacinas para reduzir infecções em animais de produção e pets. 

Em doenças não infecciosas, uma área de crescente importância para os pets, a empresa investe em terapias inovadoras que buscam o tratamento de doenças cardíacas, diabetes, doença renal crônica, dermatite atópica, assim como soluções terapêuticas de alívio da dor e ansiedade. 

Em antiparasitários, a empresa continua atendendo às principais necessidades dos produtores rurais, médicos-veterinários e tutores, incluindo resistência, conveniência e sustentabilidade de suas soluções. 

 Investimentos no Brasil 

O primeiro semestre do ano passado foi marcado por investimentos em infraestrutura, como a inauguração do “Incubatório Escola”, em Paulínia (SP), para capacitação e treinamentos de técnicos, pesquisadores e médicos-veterinários que atuam nas atividades relacionadas à vacinação e incubatório de ovos no setor avícola no Brasil. Essa é uma estrutura pioneira no país, dentro deste modelo, e teve um investimento total de R$ 1 milhão. Ainda na avicultura, a empresa lançou a Volvac IB Fit, vacina de rápida replicação e indução de imunidade em aves para prevenção de bronquite infecciosa. 

Em julho, outro destaque do ano foi o lançamento do NexGard Spectra, medicamento revolucionário que combate parasitas internos e externos em cães, e maior lançamento da história da divisão de saúde animal da empresa. Com expectativa de o produto chegar ao final de 2021 representando 13% das vendas do portfólio da área de Pets no país, os números registrados foram ainda mais robustos e o resultado foi superior em dois dígitos as projeções iniciais. 

Fonte: A.I, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Alguns comportamentos felinos são considerados formas de comunicação com o tutor

CFMV homologa emissão de títulos de especialista em animais selvagens e em endocrinologia

Instituto de Estudos Avançados da USP lança livro sobre comunidades e famílias multiespécies

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

veterinária

Inscrições para o processo seletivo de Residência no Hovet estão abertas

gato

Médica-veterinária explica sobre bartonelose, a doença da arranhadura do gato