in

Efetividade de protocolo vacinal é maior quando acompanhada de uma boa nutrição

Como destaca a PremieRpet, alimentação tem grande impacto na imunidade dos animais

Em destaque, o mês de agosto é tradicionalmente conhecido como o período de vacinação de cães e gatos contra a raiva. Sendo assim, como destaca a PremieRpet, é um ótimo período para destacar importância da prática, em geral, ao longo de toda a vida dos animais de companhia.

Segundo a empresa, junto com a aplicação do protocolo vacinal, há outros fatores importantes que interferem na imunidade dos pets, tais como idade, doenças preexistentes e estado nutricional. “Animais saudáveis, que recebem alimentos completos e balanceados, apresentam comprovadamente uma resposta imunológica mais adequada às vacinas”, ressalta.

Neste cenário, para o mestre em nutrição de cães e gatos e supervisor de capacitação técnico-científica da PremieRpet, Flavio Silva, a atenção com o sistema imunológico de cães e gatos deve ser redobrada principalmente em filhotes e animais idosos. “Filhotes com apenas alguns dias de vida têm um sistema imunológico ainda imaturo, enquanto nos idosos algumas células de defesa tornam-se menos ativas, o que pode deixá-los mais vulneráveis a diversas doenças”, esclarece.

O profissional também destaca que, em todas as fases da vida, qualquer alteração na saúde do pet, como uma simples virose ou exercício físico intenso, pode gerar queda de imunidade. Os gatos são um exemplo, pois podem ser acometidos por doenças graves causadas pelo vírus da imunodeficiência felina (FIV) e o vírus da leucemia felina (FeLV),

“A alimentação é a principal responsável por fornecer importantes ingredientes que servem de base para o bom desenvolvimento do sistema de defesa do organismo, promovendo melhor resposta às vacinas. Inclusive, em casos de desnutrição, o primeiro sistema afetado é justamente o imunológico. Ou seja, um animal malnutrido fica muito mais vulnerável às doenças de modo geral”, aponta o especialista.

Atenção redobrada

Silva, a fim de auxiliar os tutores, destaca os principais nutrientes que impactam diretamente o sistema imunológico e que merecem ser lembrados por aqueles que zelam pela saúde de seus pets. Entre eles, as proteínas, as gorduras, os minerais e os prebióticos.

Os últimos, como destaca o profissional, “podem regular ou estimular a resposta imunológica. Os prebióticos mais usados são o MOS, FOS e GOS, que além de otimizarem a saúde intestinal também são capazes de colaborar para a imunidade do corpo como um todo”.

“Por isso, é importante lembrar: o protocolo vacinal será sempre mais efetivo quando acompanhado de uma boa nutrição ao longo de toda a vida dos pets. A recomendação é ter a orientação de um médico-veterinário para oferecer uma alimentação adequada para a faixa etária, o porte, o nível de atividade física, bem como as condições fisiológicas e corporais de cada pet”, finaliza Flávio.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

NOSEiD: aplicativo norte-americano visa facilitar encontro de cães perdidos

1º centro de castração gratuita entrará em funcionamento na zona sul de SP

Residentes da FMVZ-Unesp produzem vídeo e cartilha sobre leishmaniose e toxoplasmose

linha nutrição veterinária
(Foto: reprodução)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conectividade: Vetnil patrocina 2ª edição da Live Somos Todos Pelos Animais

“Vacinação personalizada é tendência mundial que precisa ser abordada”, diz veterinária