Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Pets e Curiosidades

Espécie extinta há mais de 200 anos é reabilitada em SC

Seis bugios-ruivos já foram soltos na natureza após receberem cuidados
Por Equipe Cães&Gatos
tres bugios ruivos
Por Equipe Cães&Gatos

Em Florianópolis (SC), os bugios-ruivos estavam extintos há cerca de 260 anos. Agora, eles estão de volta às florestas da Ilha de Santa Catarina. Os bugios estavam no Centro de Triagem e Reabilitação de Animais Silvestres de Santa Catarina (Cetras), localizado dentro do Parque Estadual do Rio Vermelho, e passaram por um processo de reabilitação ao longo de mais de quatro anos para estarem aptos a iniciar o processo de soltura.

Na quarta-feira (11), os animais já reabilitados foram soltos no parque. O processo de soltura foi uma iniciativa da ONG Instituto Espaço Silvestre acompanhado pelo Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA).

O principal objetivo da soltura é que os bugios-ruivos (Alouatta guariba), nativos da Mata Atlântica, restabeleçam uma população viável a longo prazo em Florianópolis e que o seu retorno recupere certas interações ecológicas perdidas com a extinção do primata no local.

Outras cinco solturas de bugios-ruivos já estão previstas para o primeiro semestre de 2024 (Foto: Marco Favero/SECOM SC)

Em um primeiro momento, três indivíduos foram soltos: Sem Cauda, Ranhento e Ruivo. Dois machos e uma fêmea, todos adultos. Na segunda-feira (15) mais três bugios foram enviados para o recinto de adaptação. Segundo a diretora do Programa Silvestres SC, Vanessa Tavares Kanaan, outras cinco solturas de bugios-ruivos já estão previstas neste primeiro semestre do ano.

Antes de voltar à floresta, na reabilitação, o trio passou por dezenas de exames clínicos e veterinários e aprenderam habilidades comportamentais importantes para sobreviverem na natureza. Além disso, os macacos foram vacinados contra a febre amarela, doença letal para os bugios. Na reta final antes da soltura, passaram cerca de um mês num recinto de aclimatação, para se adaptarem à floresta, sua nova casa.

“Nos emociona muito, pensar que o bugio fará novamente parte da nossa fauna e poderá viver livremente na natureza, é muito gratificante”, diz a diretora de Biodiversidade e Florestas do IMA, Sabrina Nunes Cataneo Maestri.

Fonte: NSC Total, adaptado pela equipe Cães e Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Alagamento: o que fazer para proteger os animais

Pet na piscina: siga estas dicas e garanta a segurança dele

Cinco mitos sobre gatos impactam na saúde dos felinos

NewsLetter

Cadastre-se agora e receba nossos boletins e atualizações em seu email. 

Integração
Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!