in

Labradores retrievers têm maior risco de desenvolver artrite que outras raças, diz estudo

A saúde de 1.462 labradores retrievers foi comparada à de 20.786 animais de outras raças

O novo estudo da Royal Veterinary College (RVC) revelou que a artrite é a doença com a maior taxa de risco para os labradores retrieversEm notícia do site, a RVC informa que esta é uma das principais conclusões da investigação que analisou a saúde a nível geral dessa raça de cão.

Do ponto de vista geral da saúde, os resultados mostram que, globalmente, os labradores retrievers têm um risco maior em 12/35 (34,3%) doenças e menor risco em 7/35 (20,0%). 45,7% das doenças (16/35) não possuíram diferença de risco.

Problemas de saúde com maior risco:

  • artrite (x 2,8);
  • lipoma (massa gorda) (x 2,5);
  • tosse do canil (x 2,3);
  • laceração (x 2,2);
  • rigidez (x 2,1);
  • papiloma (x 1.5);
  • dermatite húmida (x 1.7);
  • obesidade (x 1.6);
  • coxear (x 1.6);
  • ferida pós-operatória (x 1.6);
  • infeção do ouvido (x 1,5);
  • diarreia (x 1.4).
  • Problemas com redução de risco:
  • luxação da patela (x 0,2);
  • sopro cardíaco (x 0,2);
  • infestação de pulgas (x 0,2);
  • dentes decíduos retidos (x 0,3);
  • doença dentária (x 0,4);
  • agressão (x 0,4);
  • doenças dos sacos anais (x 0,7).

“Os labradores retrievers são a raça canina mais popular no Reino Unido e são, portanto, geralmente vistos por médicos-veterinários nas clínicas. Como resultado, os problemas são, muitas vezes, percebidos como sendo mais comuns em labradores retrievers do que em outras raças de cães, quando isso pode realmente ser devido à sua popularidade relativa. Para explicar isto, comparamos o risco em labradores retrievers com o risco em todos os outros cães por uma série de distúrbios comuns, para identificar, de forma fiável, os problemas a que estão predispostos ou protegidos”, comentou a epidemiologista e autora do estudo, Camilla Pegram.

A saúde de 1.462 labradores retrievers foi comparada à de 20.786 animais de outras raças e foi compilada uma lista das 35 doenças mais comuns entre os dois grupos de cães. Leia o estudo aqui.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Fim da reprodução de braquicefálicos: será, de fato, possível esse marco na Veterinária?

Felinos: Associação americana atualiza diretrizes para cuidados com gatos geriátricos

Médicos-veterinários têm papel fundamental na prevenção de novas pandemias

(Foto: reprodução)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

veterinária vigilância em saúde

Veterinária é nomeada coordenadora de Vigilância em Saúde de Rio Branco (AC)

carne crua para pets

Qual a influência da oferta de dietas cruas na microbiota intestinal de cães e gatos?