in

Lipidose hepática felina é uma das doenças mais comuns na clínica de felinos

Causando “dor de cabeça” em tutores e veterinários, ela pode vir acompanhada de outras doenças

Não diferente de nós, seres humanos, os animais – em especial, falando sobre os gatos -, precisam de um olhar atento dos médicos-veterinários e tutores em relação à saúde do fígado. Uma das doenças mais comuns relacionadas a esse órgão e muito recorrente em felinos é a lipidose hepática, que, segundo a médica-veterinária presidente da Associação Brasileira de Gastroenterologia Veterinária (Abraga), responsável pelo setor de gastroenterologia do Provet, Endocrinovet, Pet Care, Naya e Climev, professora do curso de pós-graduação em clínica médica do Equalis e do curso de Gastroenterologia da Ufape Intercursos, Maria Carolina Farah Pappalardo, é uma hepatopatia que ocorre  devido ao acúmulo de gordura intra-hepática secundária a períodos de anorexia e perda de peso em felinos obesos.

Segundo a médica-veterinária, com atendimento clínico geral e de felinos do Hospital Pet Care, Vanice Correto Dutra Allemand, a lipidose hepática é um transtorno do metabolismo lipídico (de gorduras) devido à mobilização excessiva de triglicerídeos dos tecidos de reserva para o fígado. “Esse acúmulo de triglicerídeos dentro das células hepáticas obstrui as funções do órgão, levando, secundariamente, a alterações sistêmicas importantes e podendo culminar com o óbito do animal caso não seja tratado.

Vanice aponta que ela ocorre quando há um déficit importante e prolongado entre a ingestão de calorias e o seu gasto. “Geralmente, acomete gatos com aparência saudável ou obesos que apresentam anorexia ou estado próximo a ela, de modo prolongado (alguns dias ou semanas). Pode ocorrer espontaneamente (idiopática), mas em até 90% dos casos seu aparecimento está relacionado a alguma doença de base como diabetes, câncer, hipertireoidismo, pancreatite, doença renal ou qualquer outro tipo de doença hepática”. 

A importância de se conhecer essa doença garante que o animal seja diagnosticado de maneira correta. Por exemplo, você sabia que existem dois tipos de lipidose hepática em felinos? “No gato, a lipidose pode ser espontânea ou idiopática (quando não é possível identificar uma causa de base) ou secundária, quando a anorexia decorre de alguma doença de base presente”, explica Vanice.

Continue lendo a reportagem, gratuitamente, em nossa revista on-line. Clique aqui.

Fonte: Redação Cães&Gatos VET FOOD. 

LEIA TAMBÉM:

Médica-veterinária conta como surge e se estabelece a relação tutor-pet

Hospital Veterinário de universidade abre inscrições para campanha de castração

Segundo estudo realizado na Califórnia, gatos preferem receber refeições sem esforço

(Foto: C&G VF)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

evento de adoção da Mars e Ampara

Mars e AMPARA Animal realizam eventos de adoção em diversas localidades do Brasil

CRMV-SP: 5ª Semana do médico-veterinário já está com inscrições abertas