in

Médico-veterinário destaca quatro dicas para o pet não enjoar do alimento

Os cuidados com a rotina da alimentação são essenciais para que cães e gatos não percam o apetite

Os pets, ao contrário dos humanos, não precisam variar o cardápio constantemente, desde que tenham uma alimentação completa e balanceada. No entanto, não é incomum que cães e gatos passem a rejeitar o alimento em determinadas situações. Essa falta de interesse pela refeição pode estar relacionada a vários motivos, inclusive ao chamado “apetite seletivo”.

“Normalmente, essa seletividade está ligada a raças de pequeno porte, enquanto os animais de porte grande costumam comer mais e dificilmente rejeitam o alimento”, afirma o médico-veterinário mestre em nutrição de cães e gatos e supervisor de Capacitação Técnico-Científica da PremieRpet, Flavio Silva. Segundo ele, é necessário, também, entender que vários aspectos do alimento influenciam a ingestão da dieta, como o odor, textura, tamanho e temperatura.

No entanto, mesmo que o apetite seletivo seja uma característica desses animais, é importante ficar atento para que o pet não passe mais de um dia sem comer. “Oferecer um alimento altamente palatável é o primeiro passo para a melhoria do quadro, por meio de produtos de alta qualidade com ingredientes selecionados e nutrientes provenientes de fontes nobres”, garante Silva.

 Cães e gatos são mais receptivos ao alimento quando estão em um local confortável, seguro e tranquilo (Foto: reprodução)

4 dicas para o pet não enjoar do alimento

  • Mantenha uma rotina na alimentação – No caso dos cães, manter uma rotina de horários fixos para a alimentação ajuda na aceitação do alimento pelo animal. Deixar o comedouro com alimento à vontade faz com que ele queira comer a todo momento, podendo enjoar mais facilmente. Além disso, a exposição prolongada compromete a crocância, o sabor e qualidade do produto.
  • Não ofereça petiscos em excesso – Petiscos são uma ótima opção para agradar o melhor amigo, mas não devem ser oferecidos em excesso para não comprometer o equilíbrio nutricional nem interferir no apetite, fazendo com que o pet deixe de comer sua refeição habitual. Os petiscos são um complemento e devem representar no máximo 10% das calorias diárias indicadas para a idade e o porte do animal.
  • Armazene o alimento corretamente – Os cuidados com a conservação do alimento garantem os benefícios nutricionais e evitam o desenvolvimento de fungos e bactérias. Além disso, caso a embalagem fique exposta, pode ocorrer perda de aroma, textura e sabor, fazendo parecer que o pet enjoou do alimento.
  • Coloque o comedouro em local adequado – Cães e gatos são mais receptivos ao alimento quando estão em um local confortável, seguro e tranquilo. Por isso, é importante evitar deixar o comedouro em corredores e passagens ou exposto ao sol. Também deve-se evitar locais próximos ao tapete higiênico, já que o cheiro pode ser um fator determinante para o animal não querer comer.

“O pet com apetite seletivo deve se sentir o mais confortável e estimulado possível para aceitar o alimento. Saber como lidar com o manejo alimentar desses animais é fundamental para garantir que eles receberão uma nutrição completa e balanceada, tão importante para sua saúde, longevidade e qualidade de vida”, finaliza o médico-veterinário.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Dia de Combate: câncer de próstata atinge cães e gatos de meia idade a idosos

Profissionais da Medicina Veterinária não podem oferecer promoções de Black Friday

Veterinários e varejo pet aceleram utilização de ferramentas digitais para atingir clientes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CRMV-SP Escuta

Projeto “CRMV-SP Escuta” reúne profissionais e autoridades de Araras (SP) e região

Simpósio Doe Amor

Special Dog Company realiza evento on-line sobre terapia transfusional para pets