in

Para a sobrevivência de chimpanzés, é preciso restaurar ecossistemas

Assembleia Geral das Nações Unidas declarou o período de 2021-2030 como a Década da ONU da Restauração de Ecossistemas

De acordo com a União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN), o chimpanzé encontra-se em “perigo”, ameaçado de extinção por conta da caça e da destruição do meio ambiente, em especial na África Central e Ocidental.

A presidente da Comissão de Bem-estar Animal, do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo (CRMV-SP), integrante do International Environmental Enrichment Conference Committee, professora de Reprodução de Animais Silvestres da Faculdade de Medicina Veterinária, da Universidade de São Paulo (FMVZ-USP), e pioneira em estudos de enriquecimento ambiental para gorilas, Cristiane Pizzutto conta que os chimpanzés têm papel importante na disseminação de sementes e reflorestamento.

Para garantir a sobrevivência destes animais, é preciso restaurar os ecossistemas que foram destruídos pela ação humana. “É preciso preservar as áreas em que eles vivem e realizar trabalhos de conservação para ajudar aqueles que estão em cativeiro”, afirma Cristiane.

A Assembleia Geral das Nações Unidas declarou o período de 2021-2030 como a Década da ONU da Restauração de Ecossistemas, que tem como principal objetivo aumentar os esforços para restaurar ambientes degradados, criando medidas eficientes para combater a perda da biodiversidade, a crise climática, alimentar e hídrica.

Ainda que obtenham a independência, são animais que vivem em grupos, então estarão sempre por perto de suas famílias (Foto: reprodução)

Curiosidades do chimpanzé que talvez você não conheça

Sobre as semelhanças com os seres humanos. Os chimpanzés são os nossos parentes vivos mais próximos e eles possuem um DNA com 98% de semelhança ao do ser humano. O aprendizado de uma criança e de um chimpanzé também é bastante parecido.

Por que são tão inteligentes? Apresentam um sistema nervoso bastante evoluído, com forte capacidade de cognição. Estudos mostram que animais que vivem em estruturas sociais complexas, como os chimpanzés, são mais inteligentes porque aprendem entre si.

Dieta variada e equilibrada. Consomem grande variedade de frutas e folhas. Algumas espécies gostam de flores e sementes e há a possibilidade de predarem alguns pequenos mamíferos. Utilizam gravetos como varinha de pesca, para enfiar nos formigueiros e buscar outros tipos de alimentos.

Dependem de suas mães por um bom tempo. Os pequenos chimpanzés são dependentes de suas mães para conseguirem sobreviver até os seis anos de idade. Ainda que obtenham a independência, são animais que vivem em grupos, então estarão sempre por perto de suas famílias.

Não são tão fofinhos. Os chimpanzés podem ser agressivos, por mais que aparentem ser pacíficos. Essas características são naturais de animais selvagens, Por isso, admire-o a distância.

Fonte: CRMV-SP, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Fim da reprodução de braquicefálicos: será, de fato, possível esse marco na Veterinária?

Felinos: Associação americana atualiza diretrizes para cuidados com gatos geriátricos

Médicos-veterinários têm papel fundamental na prevenção de novas pandemias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pet Diabetes Tracker, da MSD

MSD Saúde Animal lança app que auxilia e monitora a saúde de animais diabéticos

displasia coxofemoral em gatos

Displasia coxofemoral pode ser empecilho na garantia do bem-estar aos felinos