Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Clínica e Nutrição

Pets com Doença Renal Crônica devem tomar cuidado com o excesso de fósforo

Por Equipe Cães&Gatos
cachorro comendo
Por Equipe Cães&Gatos

O manejo nutricional possui um papel fundamental no tratamento da doença renal crônica. A nutrição adequada pode proporcionar um aumento na sobrevida de gatos e de cães com DRC, além da melhora na qualidade de vida (JACOB et al., 2002). O principal objetivo da nutrição neste caso é colaborar para o controle da progressão da doença e minimizar os efeitos negativos consequentes da evolução desta patologia (QUÉAU, 2013). O fósforo se apresenta como um dos principais vilões na DRC e requer controle monitorado durante toda a vida do paciente (ROSS et al., 2006).   

- PUBLICIDADE -

Apesar do fósforo ser um nutriente essencial para diversas funções fisiológicas, a alta ingestão deste mineral por um paciente com doença renal pode resultar em efeitos negativos para a saúde (CHANG; ANDERSON, 2017). A hiperfosfatemia pode ser tóxica e levar a maior produção de paratormônio (PTH), calcificação renal, injúria tubular e piora na progressão da doença, sendo o menor tempo de sobrevida uma consequência significativa (BARBER et al., 1999; RUTHERFORD et al., 1977).  

Nos pacientes com doença renal crônica encontramos a capacidade de excreção de fósforo comprometida, levando a aumento da concentração de fósforo sérico (ELLIOTT, 2011). Sendo assim, a quantidade de fósforo na dieta do paciente nefropata deve ser restrita para retardar a evolução da patologia e evitar ocorrência de novas leões renais (ROSS; FINCO; CROWELL, 1982). A biodisponibilidade de fósforo pode variar conforme sua fonte de ingestão: vegetais, geralmente, apresentam menor biodisponibilidade deste nutriente (em torno de 40%), enquanto o fósforo inorgânico possui biodisponibilidade próxima de 100% (KARP et al., 2012a, 2012b). Encontramos fósforo naturalmente em fontes proteicas, principalmente aquelas de origem animal, por isso, estas, comumente, também se apresentam em menor quantidade no alimento específico. 

Para ler o artigo completo, acesse nossa revista on-line! Leia já!  

(Foto: C&G VF)

Fonte: Redação Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Dia Mundial dos Animais: ONGs falam sobre a importância de adotar e cuidar bem de um animal resgatado

Papel da nutrição nas doenças dermatológicas marcou Simpósio Global da Hill’s

Médica-veterinária fala sobre os cuidados com os gatos durante a primavera

Compartilhe este artigo agora no