Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Pets e Curiosidades

Planeta Terra perdeu 69% da fauna em menos de 50 anos, segundo relatório da WWF

Por Equipe Cães&Gatos
boto amazônico
Por Equipe Cães&Gatos

O planeta perdeu 69% das populações de seus animais selvagens em menos de 50 anos devido, principalmente, à ação humana (como o desmatamento, a poluição dos oceanos e a crise climática), segundo o mais recente relatório da ONG Fundo Mundial para a Natureza (WWF), em parceria com a Sociedade Zoológica de Londres.

- PUBLICIDADE -

E mais uma vez, a situação é ainda mais crítica na região da América Latina e Caribe, onde as populações monitoradas encolheram, em média, em 94%. Por outro lado, na América do Norte, Europa e Ásia Central, o índice de perda de biodiversidade ficou perto dos 20%. Já na África a taxa foi de 66% e na região da Oceania e do Pacífico Asiático o índice foi de 55%.

No Brasil, o destaque negativo do relatório fica para as onças-pintadas, corais, botos amazônicos e tatus-bola. As espécies foram algumas das que mais diminuíram no País nas últimas décadas.

O levantamento analisou cerca de 32 mil populações de vida selvagem em todo o mundo e mais de 5 mil espécies. Somente os botos cor-de-rosa tiveram uma queda de 65% entre 1994 e 2016 na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá, no Estado do Amazonas. Segundo o relatório, estes animais estão sofrendo com a captura não intencional em redes e pela contaminação por mercúrio.

Os botos têm grande capacidade de se aproximar e interagir com humanos, o que acaba gerando situações de conflito com a atividade pesqueira
(Foto: reprodução)

“Os botos têm grande capacidade de se aproximar e interagir com humanos, o que acaba gerando situações de conflito com a atividade pesqueira que, frequentemente, terminam com a morte de indivíduos da espécie”, diz a gerente de Ciências do WWF-Brasil, Mariana Napolitano.

No Pantanal, outra espécie sob ameaça é a onça-pintada que, ainda de acordo com o relatório, está sofrendo com o crescente barramento dos rios da Bacia do Alto Paraguai e as queimadas recorrentes na região.

No caso dos corais, estima-se que um aumento de 1,5°C na temperatura global cause o desaparecimento de 70% a 90% dessas espécies em todo o mundo. “Estamos enfrentando uma dupla emergência global provocada pelas ações humanas: a das mudanças climáticas e da perda de biodiversidade, ameaçando o bem-estar das gerações atuais e futuras”, acrescentou o diretor-geral do WWF Internacional, Marco Lambertini.

Para reverter esse cenário, a ONG argumenta que é necessário, além de esforços de conservação e restauração, uma aceleração da transição econômica para que os recursos naturais sejam devidamente valorizados.

O WWF também enfatiza a necessidade de produzir e consumir alimentos de forma sustentável, bem como descarbonizar todos os setores de forma rápida e profunda. “O Relatório Planeta Vivo contém números chocantes diretamente relacionados às crises climáticas e de biodiversidade e, em resposta, devemos ver sistemas transformadores mudarem se quisermos deter e reverter a perda das espécies e garantir um futuro próspero para as pessoas e a natureza”, acrescentou Lambertini.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Tutores devem procurar veterinário de confiança para vacinar seus animais

Docentes se reúnem para levar conhecimento da Veterinária Canabinoide para dentro das Universidades

Cães e gatos precisam de manejo nutricional adequado para cada fase e condições de saúde

Compartilhe este artigo agora no

NewsLetter

Cadastre-se agora e receba nossos boletins e atualizações em seu email. 

Integração
Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!