in

Profissionais explicam motivos pelos quais alguns gatos que nascem com “duas cabeças”

Esses felinos, segundo veterinários, tendem a viver pouco e são relacionados a deus da mitologia romana

Esta semana, o caso de uma gata com duas faces nascida na Tailândia chamou atenção do mundo todo. O filhote contrariou as expectativas ao chegar aos três dias de vida, mas, então, acabou morrendo.

Tung Ngern/Tung Tong, a gata tailandesa, não é a primeira a nascer com essa condição espantosa. No Brasil, a cada três anos, nasce um gato com duas faces, segundo a médica-veterinária e professora de Fisiologia Veterinária, no Centro Universitário da Serra Gaúcha, Juliana Andrade.

Gata com duas faces nascida na Tailândia viveu por apenas três dias (Foto: reprodução)

Esses felinos são conhecidos como Gatos Janus, por conta do deus romano homônimo, que, segundo a mitologia, também possuía duas faces – uma voltada para o futuro e, a outra, para o passado. Os Gatos Janus, normalmente, possuem apenas um cérebro, mas há casos descritos na Medicina Veterinária de animais que tinham dois desses órgãos, conforme revela o médico-veterinário do Hospital Veterinário da Universidade Anhembi Morumbi, Fernando Bento.

Dentre as causas dessa condição, a genética é um fator importante, mas o uso de fármacos e o ambiente em que a mãe está inserida também podem influenciar. “O alto índice de óbito nesses casos é devido às demais malformações existentes, como a duplicidade de outros órgãos (cérebro, coração e esôfago), o que é incompatível com a vida”, diz Bento.

No entanto, em 1999, um bichano de duas faces conseguiu viver durante 15 anos, quebrando o recorde de longevidade entre os Gatos Janus. A situação do animal, chamado de Frank e Louie, era fora da curva. “Ele viveu muito além do esperado para gatos nessas condições porque o corpo era bem formado e o esôfago estava bem estruturado, de forma que ele conseguia se alimentar perfeitamente. Assim, conseguiu se manter bem nutrido, com suas necessidades fisiológicas supridas e teve uma vida normal”, esclarece Juliana.

Fonte: Casa e Jardim, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Veterinários explicam os tipos de técnicas anestésicas para animais de companhia

Pesquisadores visam novas ferramentas de diagnóstico para câncer de mama em cães

Setor pet brasileiro cria 2,83 milhões de empregos e ultrapassa 285 mil empresas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

animal silvestre

RJ: Agentes ambientais participam de treinamento para manejo de animais silvestres atropelados

kit primeiros socorros

Kit de primeiros socorros é importante, mas não elimina necessidade da ida ao veterinário