Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Marketing e Produtos

Profissionais listam cuidados essenciais para preservar a saúde e bem-estar do seu pet nas férias

Por Equipe Cães&Gatos
viagem
Por Equipe Cães&Gatos

As férias estão chegando e muitas pessoas incluem seus pets nos planos de viagem. Mas antes de levar seu animal para viajar, é preciso tomar alguns cuidados com sua saúde. As consultoras técnicas da Elanco Saúde Animal reuniram seis dicas fundamentais para quem quer viajar em segurança com seus companheiros caninos ou felinos.

A primeira dica é manter o controle dos carrapatos e pulgas sempre em dia. Isso porque, além do desconforto nos pets, provocado pela coceira intensa, os carrapatos e pulgas podem transmitir doenças potencialmente graves, inclusive aos humanos. 

Os carrapatos são responsáveis pela transmissão das hemoparasitoses, conhecidas como ”doença do carrapato”, potencialmente graves, de curso silencioso, que se manifestam de diversas formas e podem levar o animal a óbito. É importante ficar atento também à febre maculosa, uma infecção causada pela Rickettsia rickettsii, que é transmitida pelo “carrapato estrela” por meio de sua picada. “É preciso manter os cuidados com os animais, com o uso periódico de produtos que combatam os parasitas externos antes que eles se disseminem no ambiente”, destaca a médica-veterinária e consultora Técnica da Elanco, Tatiana Pavan. E é importante também cuidar do ambiente onde o pet ficará. “Para se ter uma ideia, apenas 5% dos carrapatos e pulgas adultos estão presentes no animal, enquanto 95% dos parasitas em suas formas jovens estão dispersos no ambiente. Consulte o médico-veterinário para indicar a melhor solução para seu pet”, aconselha. 

Para prevenir e eliminar carrapatos e pulgas e ainda reduzir o risco da transmissão de doenças provenientes desses parasitas, a Elanco possui soluções específicas, como o comprimido mastigável Credeli, que garante uma proteção mensal contra carrapatos e pulgas em cães, e a coleira Seresto, que oferece proteção contínua contra pulgas e carrapatos em cães e pulgas em gatos por até 8 meses. Para o combate às pulgas presentes no ambiente de convívio do animal, a Elanco possui o spray Fleegard em seu portfólio, que auxilia o controle das pulgas adultas já no primeiro dia de aplicação e possui elevada eficácia contra as formas jovens, impedindo o desenvolvimento e interrompendo o ciclo de vida destes parasitas. 

Atenção aos vermes! 

Os responsáveis por cães sabem o quanto seus companheiros têm como hábito cheirar o “bumbum” dos outros cachorros ou lamber tudo o que veem. Apesar de comuns, tais hábitos podem representar riscos à saúde. Mais uma vez, o conselho aqui é prevenção. “É preciso administrar antiparasitários regularmente, conforme orientação do médico-veterinário de confiança”, destaca o gerente de Marketing de Pets da Elanco, Cristiano Anjo. “Assim, pets e família estarão protegidos”, afirma. 

A linha Drontal da Elanco contém soluções diversas para o tratamento e controle dos vermes intestinais, em diferentes apresentações: Drontal Plus carne é um comprimido mastigável e Drontal Puppy é a suspensão oral indicada para filhotes. Além disso, a linha possui o Drontal Gatos comprimidos e Drontal Gatos SpotOn, solução na forma de pipeta de uso tópico. Já Milbemax é um vermífugo indicado para tratamento e controle de infecções intestinais por vermes redondos, achatados e prevenção da dirofilariose, o verme do coração. Disponível em duas apresentações: Milbemax C, indicado para cães, e o Milbemax G, indicado para gatos. Milbemax é o único vermífugo de administração única mensal. 

É interessante fazer uma consulta com o veterinário para que ele avalie as condições gerais de saúde do pet e se ele está preparado para o tipo de viagem (Foto: reprodução)

Animais idosos necessitam de cuidados especiais 

Tem um cão ou gatoidoso? Vale lembrar que, na medida em que envelhecem, os animais perdem massa muscular, podem apresentar disfunções cognitivas e alterações osteoarticulares e algumas delas podem manifestar piora em temperaturas mais frias. Por isso, caso viaje com um pet idoso para cidades mais frias, lembre-se de manter o local de permanência aquecido, dar continuidade ao tratamento com as medicações e prestar especial atenção em eventuais alterações de comportamento. “Com o frio, a musculatura se torna mais rígida, os animais tendem a se movimentar e se exercitar menos e a circulação sanguínea e a oxigenação no sistema osteoarticular ficam comprometidas, o que gera agravamento das dores articulares nos animais que têm artrose e/ou artrite”, aponta a médica-veterinária e consultora Técnica da Elanco, Mariana Cappellanes Flocke.

Para os responsáveis por gatos, é importante ficar atento a alterações na locomoção do felino: se permanece mais tempo deitado, se evita saltar, subir ou descer, caso passe a dormir em lugares diferentes dos habituais, se mudou a rotina de higiene, como urinar e defecar fora da caixa sanitária. Além disso, atente-se às manifestações menos específicas que podem estar presentes, como as alterações no apetite e humor. 

Para os tutores de cães, a médica-veterinária sugere que continuem a estimular seus pets a realizarem uma frequência diária de atividades físicas leves a moderadas, respeitando as orientações do médico-veterinário e as limitações do animal, evitando subidas e terrenos irregulares. “É importante evitar quedas, checar se o piso é escorregadio e se certificar que o pet esteja bem acomodado e protegido ao repousar”, completa. Uma dica importante, segundo ela, é manter os potinhos de comida e água próximos ao animal para evitar que ele precise se locomover de um cômodo ao outro. “Caso o pet tenha dor, isso vai auxiliá-lo a manter sua rotina, mesmo longe de casa. E lembre-se de que em animais, a dor se manifesta de uma forma silenciosa e muitas vezes não percebemos, nos fazendo acreditar que as mudanças comportamentais são apenas consequências da ‘idade’, completa”. 

A Elanco possui soluções para ajudar os tutores no tratamento da dor e inflamação, como a linha Onsior, disponível nas apresentações injetável e comprimidos. A empresa também oferece o Galliprant, que atua bloqueando o receptor responsável primário por mediar a dor e a inflamação associadas à osteoartrite canina. 

Além disso, a família e os pets podem tirar férias da rotina e viajar, mas é importante manter as medicações que seu animalzinho precisa, seguindo as orientações do médico-veterinário. “O tratamento não deve ter descanso e precisa ser mantido onde vocês estiverem”, reforça Mariana para os tutores de pets que tomam medicações de uso contínuo.

“Mesmo durante a viagem, mantenha a medicação recomendada pelo médico-veterinário”, reforça Mariana para os tutores de pets que tomam medicações de uso contínuo.

Antes da viagem, também é importante conferir se a carteira de vacinação está em dia. “Caso não esteja, leve-o ao médico-veterinário, atualize as doses e leve o documento com você”. A carteira de vacinação é um importante registro do histórico de seu pet. Ninguém quer passar por intercorrências durante a viagem, mas as vacinas atualizadas proporcionam segurança ao animal, além de ser requisito obrigatório para todas as companhias em viagens aéreas. 

Atenção com dias de muito calor 

Existe uma condição conhecida por ”intermação” ou ”heat stroke”, que é o superaquecimento e não deve ser subestimada. Diferentemente das pessoas, cães não transpiram para dissipar o calor excessivo. Embora os cães tenham glândulas sudoríparas nas patas, elas pouco auxiliam a regular a temperatura. Assim, o cão faz isso por meio da respiração, que fica acelerada e mantendo a boca aberta. No entanto, às vezes, arfar não é o suficiente para evitar o superaquecimento. 

“Conforme a temperatura aumenta, é preciso estar atento, pois a intermação pode levar a condições graves e potencialmente fatais, como insolação e até a morte”, adverte Tatiana. 

A respiração ofegante é o sinal mais evidente e o primeiro que você pode notar. Taquicardia, vômito ou diarreia podem estar presentes; incoordenação, gengivas ou língua podem ficar azuis ou vermelho brilhante. Em casos mais graves, pode ocorrer convulsão. Para ajudar a manter seu cão seguro e fresco durante o verão, veja algumas dicas sobre manifestações que podem indicar que seu animalzinho está superaquecendo e como evitar que isso aconteça: 

  • Mantenha o animal em local com sombra e circulação de ar constante;
  • Nunca deixe o animal sozinho dentro do carro;
  • Não estimule atividades físicas nos horários de maior calor e para os passeios, escolha períodos mais frescos do dia;
  • Forneça água fresca à vontade e em caso de passeio, leve água com você. 

“É interessante, também, fazer uma consulta com o médico-veterinário para que ele avalie as condições gerais de saúde do seu pet e se ele está preparado para o tipo de viagem que vocês farão. Cada animal tem suas particularidades e necessidades. O profissional que o acompanha poderá orientá-los com recomendações específicas para seu companheirinho, o que tornará sua viagem mais segura e feliz”, destacam as consultoras técnicas da Elanco. 

“Um dos compromissos da Elanco é contribuir para que mais de 40 milhões de pets recebam cuidados melhores por meio do trabalho com médicos-veterinários e responsáveis. Por isso, além de investirmos constantemente em pesquisas para inovar nosso portfólio, realizamos campanhas para divulgar informação confiável a todos os que são apaixonados por pets, como nós”, conclui Mariana.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Dia da Homeopatia: Médica-veterinária fala sobre a prática e os benefícios que ela traz para os animais

Novembro Azul: médicos-veterinários falam sobre o câncer de próstata em cães e gatos

Veterinária fala sobre como oferecer suporte clínico e nutricional a pets diabéticos