Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Inovação e Mercado

Projeto de lei que institui o Dia Nacional das Zoonoses é protocolado

Iniciativa busca conscientizar a população sobre zoonoses e promover ações de prevenção e controle em todo o país
Por Equipe Cães&Gatos
cachorro no colo
Por Equipe Cães&Gatos

O Projeto de Lei n. 905/2024, apresentado pelo Deputado Federal Zacharias Calil, institui o Dia Nacional das Zoonoses, a ser celebrado anualmente em 6 de julho. A iniciativa visa conscientizar a população sobre zoonoses e promover ações de prevenção e controle em todo o Brasil.

- PUBLICIDADE -

A nova data permitirá a realização de campanhas de esclarecimento, exames e outras ações educativas e preventivas em parceria com a iniciativa privada, entidades civis e organizações profissionais e científicas. Além disso, o Governo Federal poderá iluminar locais públicos na cor verde, simbolizando a campanha e destacando a importância da prevenção de zoonoses.

Para somar à esse dia iniciativas de responsabilidade social, a Boehringer Ingelheim realiza parceria com a ONG Moradores de Rua e Seus Cães para um mutirão em Brasília (Foto: Divulgação)

A escolha da data coincide com o Dia Mundial das Zoonoses, estabelecido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em memória ao primeiro uso da vacina contra a raiva por Louis Pasteur, em 1885. As zoonoses são doenças infecciosas transmitidas entre animais e seres humanos, causadas por bactérias, vírus, parasitas e fungos. Elas têm um impacto significativo na saúde pública, econômica e ambiental.

No Brasil, doenças como raiva, leishmaniose, doença de Chagas e febre amarela representam desafios importantes para a saúde pública. Adicionalmente, ainda mais perto do dia a dia dos brasileiros, destaca-se a prevalência de doenças em cães e gatos causadas por parasitas como carrapatos, pulgas, sarnas e vermes. A incidência de zoonoses é influenciada por fatores como a proximidade de animais selvagens e domésticos, condições socioeconômicas e acesso limitado a serviços de saúde e saneamento.

“A criação do Dia Nacional das Zoonoses é uma estratégia crucial para aumentar a conscientização e promover ações de prevenção e controle”, afirma Carolina Anjos, diretora de Assuntos Corporativos da Boehringer Ingelheim. “Trazer a relevância desse tema para a esfera pública nos ajuda a prevenir as epidemias de doenças infecciosas em animais de companhia e de produção e é fundamental para proteger a saúde de todos”, conclui. A iniciativa reforça que a saúde humana e animal estão interconectadas, sublinhando a importância de esforços coordenados para prevenir e controlar essas doenças.

A nova data permitirá a realização de campanhas de esclarecimento, exames e outras ações educativas (Foto: Divulgação)

A Boehringer Ingelheim acompanha de perto as políticas públicas no Brasil desde 1956 e sempre se posiciona a favor de causas importante para a Saúde Animal com um olhar de longo prazo, buscando melhorar a conscientização e estratégias de vigilância e prevenção. “Estamos sempre atentos à pautas estratégicas que possam ter alcance mais amplo nesta agenda e buscamos maneiras de ampliar estratégias de vigilância, prevenção e controle, como está previsto no PL 905/2024”, comenta Carolina.

Para somar à esse dia iniciativas de responsabilidade social, a Boehringer Ingelheim realiza parceria com a ONG Moradores de Rua e Seus Cães para um mutirão em Brasília. Este evento, que ocorrerá no Parque Lago do Cortado em Taguatinga, em frente ao Serviço Público Veterinário do DF, visa atender animais e pessoas em situação de vulnerabilidade. A parceria da Boehringer com a MRSC proporcionará banho e tosa, atendimento veterinário, vacinação, proteção contra parasitas internos e externos e ração para os pets, além de kits de alimentação e higiene pessoal para humanos, com expectativa de até 200 atendimentos.

Fonte: Boehringer Ingelheim, adaptado pela Equipe Cães e Gatos.

LEIA TAMBÉM:
Quais as funções atribuídas a um zootecnista?
Zootecnistas auxiliam no enriquecimento ambiental dos pets
Veterinários, zootecnistas e toda a sociedade devem combater maus-tratos

Compartilhe este artigo agora no