in

Royal Canin apresenta campanha #MeuGatoNoVet pelo quarto ano consecutivo

A websérie “Meu Gato No Vet” conta histórias reais de tutores e seus gatos, com episódios que abordam a hora do check-up e o tratamento felino pós consulta

Gatos são animais territorialistas e isso se deve a uma questão de instinto de sobrevivência no bichano, que demarca o ambiente para garantir fonte de água, abrigo, segurança e alimentação. Associado a esse comportamento individual, é comum que os gatos não demonstrem pequenos desconfortos. 

Por isso, mesmo que diversos tutores saibam da necessidade de levar o gato ao Médico-Veterinário pelo menos uma vez ao ano, para avaliações de check-up preventivos, eles podem deixar a ação para depois, considerando evitar que o gato se estresse na clínica e fique arisco na consulta. 
 

gato
Uma dica nesses casos é procurar um local com práticas cat-friendly, um conceito de clínicas especializadas para atendimento amigável de felinos (Foto: reprodução)

Uma dica nesses casos é procurar um local com práticas cat-friendly, um conceito de clínicas especializadas para atendimento amigável de felinos. Esses espaços concentram esforços para que os gatos passem menos estresse durante os atendimentos, contam com ambientes ou salas de espera exclusivas, consultório e área de internação dedicados para eles, além de um sólido conhecimento na espécie e uma equipe médica e técnica especializada. 

 “A tendência mundial mostra claramente um aumento acentuado na proporção de gatos dentro da população geral de animais de estimação. Este é mais um dos motivos para que clínicas veterinárias adaptem suas instalações, equipe e protocolos considerando o atendimento especializado e amigável de gatos, o que auxiliará o tutor a realizar consultas preventivas com maior regularidade”, comenta a gerente de comunicação e assuntos científicos da Royal Canin Brasil, Natália Lopoes. 

Por meio dos check-ups periódicos, se ocorrer o diagnóstico de um problema de saúde, com necessidade do tratamento do gato continuar em casa é importante que o tutor obtenha orientações e dicas do profissional veterinário, aumentando as chances de sucesso do tratamento e o bem-estar do gato durante esse período. 

Confira algumas dicas que ajudarão a tornar este período mais tranquilo: 

 Mantenha uma casa cat-friendly 


Seu lar também precisa estar adaptado às necessidades do animal. Uma casa cat-friendly respeitará o território do felino ao mesmo tempo em que o protege e oferece opções de interação. Determinação de áreas claras e separadas, por exemplo, a zona da alimentação com distância da zona de eliminação e de descanso, ambiente calmo, enriquecido e com proteções em grades e janelas, entre outros, são alguns cuidados especiais para se ter com os gatos. 

O truque da toalha 


A toalha pode ser um aliado na hora de dar remédio ao gato. É preciso enrolar o animal em uma toalha de banho, manta ou coberta, e colocar a medicação o mais fundo possível na boca do pet. Depois faça uma leve massagem, para auxiliar na deglutição do comprimido, se for esta a prescrição. Remédios líquidos podem ser aplicados com a ajuda de uma seringa. 

Reforço positivo 


Sempre que o gato tomar a medicação sem cuspir, morder ou arranhar, pratique o reforço positivo como recompensa por seu comportamento. Isso pode ser através de um carinho, por exemplo! 

Incentivo para beber água 


A ingestão de água é fundamental para a saúde geral do animal. Use vasilhas mais planas, que facilitam o alcance do gato sem que haja necessidade de fricção dos bigodes. Prefira materiais que mantenha a água mais fresca, como barro ou porcelana, e mantenha a água sempre limpa e fresca. Se o pet apresentar resistência para beber água, procure alternativas, como os alimentos úmidos. 

Você conhece a campanha #MeuGatoNoVet ? 

Com o objetivo de conscientizar sobre a importância dos cuidados preventivos à saúde dos felinos, a R️oyal Canin apresenta o movimento Meu Gato No Vet, iniciativa global que, no Brasil, ocorre pelo quarto ano consecutivo, trazendo experiências e conteúdos para os gateiros e Médicos-Veterinários. 

A campanha oferece a websérie “Meu Gato No Vet”, com histórias reais de tutores e seus gatos. Os episódios 3 e 4 abordam a hora do check-up e o tratamento do felino após a consulta no Médico-Veterinário. Confira.  

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Alguns comportamentos felinos são considerados formas de comunicação com o tutor

CFMV homologa emissão de títulos de especialista em animais selvagens e em endocrinologia

Instituto de Estudos Avançados da USP lança livro sobre comunidades e famílias multiespécies

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

pinguim-de-magalhães

Instituto Gremar resgata pinguim-de-magalhães na praia de Itararé, em Bertioga (SP)

varíola dos macacos

Varíola dos Macacos: entenda a transmissão da doença e o papel do médico-veterinário