in

Terapia radioativa de iodo seria um bom tratamento para gatos com hipertireoidismo?

Pesquisa aponta que técnica consegue curar 95% dos pacientes com esse problema

Gatos com hipertireoidismo podem ser curados por meio de uma terapia radioativa de iodo, mais precisamente, 95% desses pacientes. Isso é o que divulga a American Association of Feline Practitioners (AAFP), que informa que a doença tem uma prevalência estimada de 10%.

“O tratamento com iodo radioativo é a terapia mais segura e eficaz contra o hipertireoidismo felino que temos na Medicina Veterinária especializada até à data”, explicou o corresponsável pelo Departamento de Medicina Interna, do Hospital Veterinário AniCura Ars Veterinaria (Barcelona), Jordi Puig. “De fato, ao contrário das terapias que utilizam drogas orais ou dietas especiais, o tratamento com iodo radioativo é o tratamento curativo com melhores garantias contra esta condição”, acrescentou.

O funcionamento do tratamento baseia-se na administração subcutânea do iodo radioativo (I-131) que se concentra nas células foliculares da tiroide hiperativas incorporadas na tiroglobulina. O isótopo I-131 emite raios gama e partículas beta, cujos efeitos ionizantes são responsáveis pela destruição de células hiperativas.

De acordo com o especialista, “o tecido da tiroide atrófica não concentra iodo e apenas o tecido hiperativo funcional da tiroide é afetado pelo tratamento. Assim, o iodo que não está concentrado na glândula tiroide é eliminado por meio da urina e fezes”.

Durante o período de internamento, o paciente não pode ser manipulado em excesso sem ser exposto a altos níveis de radioatividade. Por esta razão, os gatos devem permanecer hospitalizados em uma instalação de isolamento adaptado durante dois a sete dias após a injeção, dependendo dos níveis de radiação. Sendo necessário precauções especiais durante duas semanas, após a alta.

“O animal de companhia não pode dormir com os tutores e os resíduos da caixa de areia devem ser armazenados de forma controlada, fechada e isolada dentro de casa durante as duas semanas de restrições para reduzir a radioatividade”, avisou Jordi Puig.

Fonte: Veterinária Atual, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Monitoramento nutricional como parte do manejo da saúde do gato

Pesquisa: CRMV-SP visa identificar a destinação de resíduos na criação e atendimento animal

Etapa do método CED, marcação na orelha de gatos não se configura mutilação

(Foto: reprodução)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cuidados pets no inverno

Médica-veterinária da Royal Canin dá dicas sobre cuidados com os pets durante o inverno

uso de medicamentos veterinários

Adepará e CRMV-PA realizam webinar sobre uso racional de medicamentos veterinários