in

Universidade Federal do Paraná inaugura Centro de Medicina Veterinária do Coletivo

Espaço foi criado com o apoio do Instituto PremieRpet, braço social da empresa PremieRpet

A Universidade Federal do Paraná (UFPR) inaugura, hoje, dia 14 de abril, às 11h, o Centro de Medicina Veterinária do Coletivo, dando espaço a uma das áreas da Medicina Veterinária que mais cresce no mundo. O objetivo do centro é agregar os serviços já prestados à comunidade, criando oportunidades para ensino, pesquisa e extensão.

A nova unidade vai funcionar no Setor de Ciências Agrárias, no bairro Cabral, e oferecerá inicialmente, entre outros serviços, atendimento médico veterinário social e castrações para animais de famílias em situação de vulnerabilidade e animais abandonados cuidados por protetores independentes; perícia de animais vivos; e curso de banho e tosa para jovens em situação de vulnerabilidade.

A equipe responsável pelo projeto é formada pelos professores da UFPR Cybelle Souza, José Francisco Warth, Nivaldo Rizzi e Rita Garcia. O novo Centro de Medicina Veterinária do Coletivo contará com seis salas de atendimento, banheiros e estacionamento, e parte da reforma do espaço foi patrocinada pelo Instituto PremieRpet, braço social da PremieRpet.

Desde 2018, o Instituto desenvolve diversos projetos de impacto social em parceria com a UFPR, como o Projeto Medicina Veterinária de Abrigos, que tem o objetivo de levar conhecimento técnico para as ONGs visando aumentar o bem-estar dos animais abrigados e impulsionar as adoções de sucesso; o Grupo de Estudos em Medicina Veterinária do Coletivo, Legal, Alternativa e Bem-estar; o projeto Zero Fome, que oferece alimento para cães e gatos a tutores em situação de vulnerabilidade; e o projeto Adote um Adulto, iniciativa dos alunos da universidade para divulgar animais disponíveis para adoção no Instagram. 

Área multidisciplinar

A Medicina Veterinária do Coletivo (MVC) é uma nova área multidisciplinar que utiliza conhecimentos da Saúde Coletiva, Medicina de Abrigos, Medicina Veterinária Legal e de Desastres para promover a saúde e o bem-estar dos indivíduos, famílias, comunidades e entorno, considerando os animais como parte integrante e indissociável dessas representações e gerando diversas possibilidades de interação com outras disciplinas e novas áreas para atuação do profissional. Foi reconhecida como uma nova especialidade pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária em 2021. A Universidade Federal do Paraná (UFPR) é pioneira no ensino e especialização nesta área.

“Um dos pilares do Centro de MVC da UFPR são as práticas médico-veterinárias sociais cujo enfoque são as famílias multiespécie em situação de vulnerabilidade. Os trabalhos interdisciplinares envolvem profissionais da assistência social e psicologia da UFPR e das Prefeituras da região metropolitana. É a Medicina Veterinária atuando estrategicamente para a promoção da saúde de seres humanos e animais”, explica a professora Rita Garcia.   

Objetivo do centro é agregar os serviços já prestados à comunidade, criando oportunidades para ensino, pesquisa e extensão (Foto: reprodução)

Serviços oferecidos

Entre os serviços oferecidos pelo Centro de Medicina Veterinária do Coletivo da UFPR à comunidade em geral estão:

Perícia de Animais Vivos (SPA) – A UFPR possui termo de cooperação com a Secretaria de Segurança Pública do Estado do Paraná com várias frentes de trabalho, entre elas a realização de perícia em animais vivos pelos residentes de MVC. Na falta de ambulatório, muitas vezes essas perícias eram realizadas em áreas externas. O serviço contará agora com sala própria para a realização das perícias, bem como local apropriado para a guarda dos materiais e instrumentos de trabalho. Em parceria com os órgãos policiais, investigará denúncias de maus-tratos a animais. Também ofertará serviços de perícia veterinária para tutores que apresentem boletim de ocorrência. Servirá de laboratório para as aulas práticas da graduação e pós-graduação e para a pesquisa.

Projeto ZERO FOME – Com o apoio e patrocínio do Instituto PremieRpet, o projeto Zero Fome teve início em 2020 para viabilizar a alimentação de cães e gatos de famílias em situação de vulnerabilidade. Inicialmente, o trabalho foi feito em conjunto com o Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) da Prefeitura de Campo Magro. As famílias cadastradas no CADÚnico Nacional recebem a visita técnica da assistente social e do residente de MVC e passam por uma triagem que avalia a situação de vulnerabilidade econômica e o nível de guarda responsável. Os tutores recebem orientações para a promoção da saúde do animal e os cães e gatos recebem assistência médica básica. Em uma segunda etapa, o projeto foi expandido para os protetores independentes que trabalham no resgate, manutenção e promoção da adoção de animais abandonados. Essa etapa está conectada com a pesquisa de dois pós-graduandos em Saúde Única e, ao mesmo tempo, auxilia esses protetores que dedicam suas vidas e seus recursos para diminuir o sofrimento dos animais abandonados.

Assistência Social Veterinária (ASV) – O Projeto ASV dará apoio aos tutores com dificuldades para arcar com as despesas médicas de seus animais. O tutor passará por entrevista e seleção para identificar as vulnerabilidades e a melhor forma do animal ter acesso ao atendimento veterinário. Também terão acesso ao serviço os moradores de rua e pessoas com transtorno de acumulação de animais. O ASV poderá dar suporte aos tutores em momentos de luto ou com a indicação de eutanásia dos seus animais. Esse serviço será em parceria com a Faculdade de Psicologia e do Serviço Social da UFPR.

Clínica da interação humano-animal – A clínica tem como objetivo fortalecer o vínculo humano-animal, melhorar os níveis de bem-estar dos animais de estimação, prevenir maus-tratos, negligência, abuso e o abandono. As atividades desenvolvidas serão: 

• Aconselhar tutores que adotaram animais e que apresentam problemas comportamentais no novo lar;

• Promover o adestramento e educação de animais adotados ou encaminhados pelo Hospital Veterinário;

• Capacitar tutores sobre guarda responsável e educação básica de cães e gatos;

• Diagnosticar problemas comportamentais e indicar o tratamento para a modulação comportamental;

• Consultoria para abrigos de cães e gatos. 

Consultoria em Saúde Única – Esse serviço será responsável pela avaliação e diagnóstico epidemiológico de situações de risco envolvendo saúde animal, humana e ambiental; avaliação e acompanhamento de pessoas com transtorno de acumulação, encaminhadas por parceiros; e estudo e implementação de Programas de Manejo Populacional de Cães e Gatos para municípios que ainda não possuam tal política pública

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

A nutrição está presente e transforma a vida dos animais todos os dias

RJ constrói viaduto para reduzir o número de acidentes envolvendo animais silvestres

Além de gravidez indesejada, castração ajuda a prevenir diversas doenças nos pets

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Prática Homeopática é uma opção para tutores que querem proporcionar bem-estar aos pets

livro veterinários

CRMV-AL sedia lançamento de produção literária com fotos e poesias de médicos-veterinários