in

Veterinária lista dicas de cuidados que tutor precisa ter ao viajar de carro com seus pets

Antes mesmo da viagem, uma boa ideia é acostumar o pet a entrar na caixa de transporte e no carro

Com a aproximação do feriado de Tiradentes, celebrado em 21 de abril, muitas pessoas fazem planos de viajar para aproveitar o fim de semana prolongado, já que a data este ano será lembrada em uma quinta-feira e muitos escritórios oferecem a famosa possibilidade da “emenda” da sexta aos funcionários.

Quem conta com esta possibilidade e tem pet, a ideia de levar o animal para a viagem pode surgir, especialmente se for realizada de carro. Para que tudo ocorra em segurança, confira sete cuidados apontados pela médica-veterinária e gerente de Comunicação Científica da Royal Canin Brasil, Natália Lopes, para um trajeto tranquilo e não prejudicial ao cão ou gato.

Durante a viagem de carro, é fundamental programar paradas para que o pet possa beber água e fazer suas necessidades (Foto: reprodução)

Uma das dicas é garantir a segurança do pet com uma caixa de transporte adequada ao tamanho dele. “Se o pet for um cão de grande porte, um cinto de segurança canino é uma ótima opção”, comenta Natália. Lembrando que a caixa de transporte deve estar sempre no banco de trás do carro, presa pelo cinto de segurança. 

Segundo a veterinária, programar bem as refeições do animal no dia da viagem e não oferecer alimentos a poucas horas de entrarem no carro também é essencial. “Não é recomendada a alimentação do pet durante eventuais paradas, para evitar o desconforto gastrointestinal e enjoos, a não ser que haja a necessidade de seguir horários estritos”, explica. 

Outra dica que pode ser colocada em prática, antes mesmo de viagens, é acostumar o pet a entrar na caixa de transporte e no carro. “Desta forma, o animal irá se familiarizar com o ambiente e se sentirá mais seguro”, sugere.

Durante a viagem de carro, é fundamental, segundo Natália, programar paradas para que o pet possa beber água e fazer suas necessidades. “Lembre-se de ter em mãos saquinhos higiênicos para recolher as fezes do animal de estimação nesses momentos”, destaca.

Uma conversa com médico-veterinário sobre a viagem, necessidades e eventuais contratempos, além de informar o destino também cai bem, assim ele poderá avaliar se mais alguma medida preventiva será necessária. 

Por fim, o tutor deve saber que transportar o pet no banco de passageiro, no colo ou entre as pernas do motorista é considerado infração de trânsito. “Adote esses cuidados para, além de garantir a segurança e o conforto do seu pet, também evitar penalidades como multas e pontos negativos na carteira nacional de habilitação”, finaliza.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

CFMV habilita entidade para concessão de Título de Especialista em Endocrinologia Veterinária

Importação de animais: biólogo comenta as condições ideais para as espécies

RJ constrói viaduto para reduzir o número de acidentes envolvendo animais silvestres

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

endocrinologia

CFMV habilita entidade para concessão de Título de Especialista em Endocrinologia Veterinária

saúde dos gatos

Gatos, por instinto, escondem sinais de dores, o que dificulta a descoberta de algumas doenças