Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Marketing e Produtos

Veterinária mostra como escolher o alimento ideal para gatos e cães filhotes

Por Equipe Cães&Gatos
filhote gato
Por Equipe Cães&Gatos

A chegada de um filhote é um momento importante para todos, incluindo o pet, o tutor, e a família. Com isso surgem muitas dúvidas relacionadas sobre alimentação e as necessidades nutricionais de gatos e cães, por exemplo, de como devem ser as primeiras refeições e outras questões de cuidado com a saúde e o bem-estar do animal de estimação. 

No Brasil, nascem, anualmente, 15 milhões de gatos e cães filhotes e, de acordo com estudos, 70% são alimentados com alimentos para pets adultos. De acordo com a médica-veterinária e coordenadora de Comunicação Científica da Royal Canin Brasil, Letícia Tortola, um filhote em crescimento requer um alimento personalizado e específico. “Se o filhote veio direto de um criador, o tutor deve seguir as recomendações dadas por ele. Por outro lado, se não houver recomendações especiais, busque escolher uma dieta de nutrição específica para filhotes em crescimento, adaptada à idade, raça (se tiver) e tamanho do filhote. O pet deve ser sempre supervisionado ao ser alimentado”, declara. 

A especialista reforça que nos primeiros meses de vida do filhote, até a idade adulta e além, a nutrição saudável sob medida deve contar com um monitoramento do médico-veterinário que irá fazer adaptações para cada perfil do animal. “Todos os filhotes merecem um começo de vida perfeito. A forma com o que nutrimos e cuidamos dos filhotes irá impactar sua saúde a vida toda. O crescimento é um período-chave durante o qual as diferentes funções fisiológicas de um filhote se desenvolvem, em particular o sistema digestivo e o de defesa imunológica. Não é recomendado oferecer alimento de adulto para filhotes, fique sempre atento a isso!”, comenta a veterinária. 

Com a campanha ‘Saúde é o Princípio da Vida’, a Royal Canin tem o foco de fornecer informações importantes sobre os cuidados com os filhotes. Separamos algumas dicas de Letícia Tortola, sobre a introdução alimentar de gatos e cães. 

Como os felinos crescem de forma rápida, eles precisam receber uma alimentação muito rica em energia (Foto: reprodução)

Como escolher os alimentos para gatos filhotes? 

Segundo a profissional, os felinos precisam de um suprimento importante de proteínas, mais do que cães e humanos. Ao contrário da maioria dos outros mamíferos, os gatos são incapazes de sintetizar a taurina, um aminoácido (blocos de construção de proteínas) essencial. Em caso de deficiência na dieta, podem aparecer problemas reprodutivos, cegueira ou doença cardíaca.

Os gatos, como qualquer outro ser vivo, precisam de nutrientes para sobreviver. Os nutrientes são divididos em seis categorias: água, carboidratos, proteínas, lipídeos, minerais e vitaminas. A água é o mais importante em termos de sobrevivência, uma vez que mais de dois terços do organismo é constituído por esse nutriente. Dessa forma, a água é um nutriente fundamental para a manutenção da saúde de felinos. Além disso, a ingestão hídrica pode contribuir com o tratamento de algumas enfermidades que levam à desidratação e também de doenças comuns em gatos como cistite intersticial felina e urolitíase.

Os gatos são notoriamente exigentes com o que comem. Assim, é essencial oferecer-lhes uma dieta nutricional adequada, que não se adapte apenas à idade e necessidades específicas, mas que seja também altamente palatável.

Na fase do desmame, que é a transição do alimento líquido (leite materno) para o sólido, os gatinhos ainda não são capazes de mastigar, portanto, uma refeição polpuda (croquetes reidratados ou um alimento úmido adaptado) ajuda a facilitar a transição entre líquidos e sólidos. Muitos fatores influenciam o crescimento e uma boa nutrição desempenha um papel importante. Os alimentos não apenas fornecem energia ao gatinho, mas os nutrientes que ele contém são usados para construir e manter os ossos, músculos e órgãos.

Como os felinos crescem de forma rápida, eles precisam receber uma alimentação muito rica em energia. Até as 12 semanas de idade, consomem três vezes mais energia por quilo de peso corporal do que um gato adulto (200-250 kcal/kg). 

É recomendado buscar um médico-veterinário para fazer a avaliação do alimento ideal para o filhote (Foto: reprodução)

Como escolher os alimentos de cães filhotes? 

Que alimento o tutor deve dar ao filhote, quando ele chegar em casa? Para não alterar o sistema digestivo do cão, o tutor pode oferecer o alimento que ele já recebia antes de chegar na nova casa. Se quiser mudar para outro alimento, deve fazer aos poucos, de preferência após os três meses de idade.

É recomendado buscar um médico-veterinário para fazer a avaliação do alimento ideal para o filhote, de acordo com o porte, idade e possíveis sensibilidades, assegurando assim que o filhote desfrute de uma dieta equilibrada, contendo todos os nutrientes necessários para o crescimento saudável.

Se o filhote for alimentado com refeições caseiras, é difícil avaliar se ele está recebendo ou não todos os nutrientes necessários para uma dieta saudável e equilibrada.

A Royal Canin conta com uma ampla linha de produtos adaptados às características individuais de um cão: idade, tamanho, raça e sensibilidade. Isso é chamado de nutrição-saúde sob medida. É recomendado escolher um alimento seco ou úmido, ou ambos, dependendo das preferências do filhote. A vantagem do mix feeding, ou seja, misturar dois tipos de alimento (seco e úmido) é garantir mais hidratação ao filhote.

É importante saber que filhotes de raças pequenas crescem mais rápido e de maneira diferente dos filhotes de raças grandes. Durante os primeiros meses de vida o impacto da nutrição é crucial, pois entre o desmame (em torno de dois meses) e a chegada dos primeiros dentes permanentes, antes dos sete meses, a estrutura óssea do filhote se desenvolverá de forma espetacular. Para compensar essa intensa atividade metabólica, um filhote requer duas vezes mais energia do que um cão adulto do mesmo peso, bem como uma quantidade adaptada de cálcio e fósforo. Aos três meses, um filhote de raça pequena pesa em média de 2 a 3 kg. Já um filhote de raça gigante pesa de 18 a 20 kg. O tamanho da mandíbula também é totalmente diferente e um croquete de tamanho médio pode causar problemas de mastigação em cães de raças pequenas, e um croquete pequeno é desperdiçado por cães de raças gigantes. A orientação é que o tutor ofereça um croquete que seja adaptado para filhotes de raças pequenas, médias ou grandes e alimentos para a fase do pet.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Veterinária fala sobre como oferecer suporte clínico e nutricional a pets diabéticos

Departamento de Medicina Veterinária da Famed lança edital de residência profissional

CRMV da Bahia, Rio de Janeiro e Mato Grosso do Sul se unem no mês da Consciência Negra

NewsLetter

Cadastre-se agora e receba nossos boletins e atualizações em seu email. 

Integração
Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!