in

Vetnil compartilha trabalho realizado pela ONG AMALO, no Dia Nacional da Adoção

Voluntários trabalham no resgate e cuidado de animais abandonados para reabilitá-los

O Dia Nacional da Adoção foi estabelecido por lei no Brasil, há quase 20 anos, e tem como objetivo conscientizar sobre a importância de toda a responsabilidade que envolve esse ato. E quando falamos da adoção de animais, a Vetnil aproveita a data, comemorada em 25 de maio, para reforçar o trabalho realizado nesse sentido por ONGs como a Associação Amigos dos Animais de Louveira (AMALO), de quem é parceira e contribui mensalmente com a doação de medicamentos e suplementos.

“Somos uma marca parceira de quem cuida, por isso, aplicamos esse conceito em todas as nossas ações. Nossa missão é contribuir, sempre, com iniciativas como a AMALO, que faz um excelente trabalho pela saúde, acolhimento e bem-estar animal. Essa parceria é muito gratificante”, destaca o diretor de Marketing e Novos Negócios Vetnil, Cristiano de Sá.

Fundada em 2015, na cidade de Louveira (SP), a AMALO tem como missão resgatar e cuidar de animais abandonados ou em situação de maus tratos. O trabalho da instituição contempla a reabilitação completa de cães e gatos, incluindo a castração e outras cirurgias necessárias, vacinação e microchipagem, antes de serem destinados à adoção.

A Vetnil é uma marca parceira de quem cuida, por isso, aplica esse conceito em todas as ações (Foto: divulgação)



“Entendemos que para contribuirmos com a adoção responsável precisamos entregar esses animais aos futuros tutores com a saúde em dia. Por isso, aplicamos todas as vacinas necessárias, realizamos a castração para controle reprodutivo, e ainda, orientamos sobre todos os cuidados e desafios que envolvem a adoção. Infelizmente, cerca de 10% dos animais adotados acabam retornando ao abrigo e precisamos retomar alguns cuidados que foram negligenciados. Seria muito importante que todos tivessem essa consciência antes de levar um pet para casa, principalmente, porque eles também sofrem com isso”, comenta a fundadora da AMALO, Priscilla Cinthia Finamore.

Atualmente com 300 pets abrigados, a maior parte deles em fase adulta, a ONG enfrenta dificuldades, principalmente, para a captação de recursos. De acordo com Priscilla, os custos vão além das necessidades dos animais que estão sob seus cuidados. “Pensando nos animais e tutores que não têm recursos para consultas, vacinas e exames, montamos uma base de atendimento a baixo custo na cidade de Louveira, que recebe, também, animais de regiões próximas. Toda essa estrutura, assim como a estrutura do abrigo, precisa de recursos para manutenção, gastos de aluguel e remuneração dos profissionais envolvidos. Necessitamos de ajuda para manter, de forma contínua, esse trabalho”, destaca.

Para os interessados em contribuir com o trabalho da AMALO, a instituição aceita doações de itens de alimentação, produtos de limpeza, jornais, cobertores, toalhas, roupinhas, comedouros, casinhas, além de quantias, que podem ser pagas via Pix, depósitos e transferências bancárias, boletos e cartão de crédito.

É possível, também, contribuir com voluntariado ou apadrinhando um animal. Para mais informações sobre a ONG e como ajudar, acesse a página da AMALO no Facebook.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Raiva ainda é uma zoonose que deve estar no radar de órgãos de governo

WSAVA cria comitê de oncologia veterinária para impulsionar conhecimento veterinário

Profissional defende que Medicina Veterinária Integrativa é “tratar o todo”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

adoção pet

Dia Nacional da Adoção: veterinário destaca os principais cuidados ao adotar um pet

luto pets

Entender o processo de luto dos animais demanda paciência e atendimento especializado