in

Vômito crônico e regurgitação podem ser problemas comumente apresentados por felinos

Veterinária explica as diferenças entre os quadros e como realizar o diagnóstico

Os felinos são difíceis de decifrar e não costumam dar muitos sinais de problemas de saúde, mas algo que a espécie não consegue esconder é o ato de vomitar, que pode ser indício de diferentes problemas. “Muitas pessoas têm a ideia de que o vômito crônico no felino é normal. Mas não é.  Os gatos não devem vomitar cronicamente, mesmo que seja bola de pelo, isso não é normal. Por isso, é importante alertar o tutor que exames devem ser feitos e que pesquisar a origem do vômito é de extrema importância. O diagnóstico precoce pode fazer diferença no prognóstico”, destaca a médica-veterinária gastroenteróloga, presidente da Associação Brasileira de Gastroenterologia Veterinária e coordenadora do curso de pós-graduação em Gastroenterologia da Ufape intercursos, Maria Carolina Farah Pappalardo.

E, para um diagnóstico certeiro, é importante diferenciar vômito crônico de regurgitação. Maria explica que vômito é a eliminação de conteúdo do estômago ou duodeno por meio do esôfago com sinas premonitórios: salivação, movimentos abdominais, afastamento e deglutição. Regurgitação é a eliminação passiva de conteúdo por meio do esôfago sem movimentos premonitórios.

Segundo ela, muitas alterações podem levar ao vômito crônico, como alterações metabólicas, gastrointestinais, infecciosas, como insuficiência renal, hepatopatias, pancreatopatias, inflamações intestinais, neoplasias, infecções, parasitas e corpos estranhos. “O gato que desenvolver o problema, poderá apresentar emagrecimento, esofagites secundárias, desidratação e desequilíbrios eletrolíticos secundários”, diz Maria.

Maria ressalta que o vômito crônico é muito comum nos felinos. “Dependendo da raça, estilo de vida e predisposição, existe grande possibilidade de apresentar o problema. O diagnóstico diferencial é grande. Assim, a anamnese é de extrema importância. Nela, temos que saber o estilo de vida do felino, idade, raça, se tem acesso à rua, se tem contactantes, eliminar causas infecciosas, parasitas e possíveis corpos estranhos”.

Leia a reportagem completa em nossa revista on-line. Clique aqui. O conteúdo é gratuito!

Fonte: Redação Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Veterinária comenta o que muda com nova lei sobre eutanásia em animais saudáveis

Veterinária de Santos (SP) recebe medalha de reconhecimento profissional por atendimento a pets

Sistema CFMV/CRMVs recebe atualização e garante proteção de dados dos profissionais

(Foto: C&G VF)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

entidades

Abinpet e outras entidades se unem em fórum de defesa da produção de proteína animal

areia para gato

Empresa brasileira de areia para gatos exporta produtos para diversos países