in

WSAVA divulga estudo sobre conhecimento oncológico de médicos-veterinários

Entrevistados classificaram os tipos de tumores mais comuns que viram nas suas clínicas

O recente grupo de trabalho oncológico (WOW, na sigla em inglês), da World Small Animal Veterinary Association (WSAVA) considera existir uma necessidade urgente de educação global em oncologia veterinária. Para tal, contribuiu o resultado de um estudo realizado internacionalmente que mostrou que os veterinários classificam os seus conhecimentos na área em apenas cinco em uma escala de 10.

Tumor mamário e tumor de pele foram os mais mencionados como parte da rotina clínica pelos veterinários entrevistados (Foto: reprodução)

Em comunicado, a WSAVA informa que a pontuação média variava em termos de linguagem, com os inquiridos de língua chinesa a classificarem os seus conhecimentos ao nível mais alto (6,6) e os inquiridos de língua ucraniana o mais baixo em 4,2. Em contraste, os inquiridos classificaram a importância real dos casos de oncologia para a sua prática em sete e em dez, com uma variação mínima (6,3-7,7) entre línguas.

Os inquiridos também classificaram os tipos de tumores mais comuns que viram nas suas clínicas. As respostas mais comuns foram: o tumor mamário (81%); seguido do tumor de pele (75%); tumor abdominal (40%), linfoma maligno (39%) e outros tumores (5%). Foi dada a possibilidade de dar várias respostas a esta pergunta.

A WOW nota que “como números limitados de profissionais veterinários norte-americanos, africanos e oceânicos participaram no inquérito, este resultado pode não refletir totalmente as diferenças regionais. Por exemplo, em partes do mundo, a incidência do tumor mamário é menor devido a uma cultura de castração precoce”.

A cirurgia foi a terapia mais comum utilizada nas clínicas privadas (55%), seguido de cirurgia e terapia adjuvante em 30% dos casos; quimioterapia em 7% e cuidados paliativos em 4%. A eutanásia imediata foi recomendada em 1% dos casos.

Embora a quimioterapia seja, atualmente, utilizada apenas por 7% dos inquiridos, quando questionados sobre quais os recursos educativos mais valiosos para eles, os protocolos de quimioterapia foram solicitados em 82%.

Quase dois mil profissionais veterinários de todo o mundo, 95% dos quais médicos-veterinários, concluíram o inquérito em dez línguas, durante setembro e outubro de 2021.

Fonte: Veterinária Atual, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Luto pela perda de um animal de estimação ainda é desmerecido por muitas pessoas

Câncer de pele em pets: como prevenir, tratar e saber a hora certa para a eutanásia?

CRMV-MG coíbe realização de mutirão de castração sem estrutura adequada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

posse

Cerimônia de posse da Associação Nacional dos Médicos-Veterinários conta com presença do CRMV-SP

Guilherme Marchetti

Reconhecimento: Médico-veterinário da FMVZ-Unesp recebe Moção de Congratulações