in

Alimentação e imunidade são alguns dos pontos de atenção com os pets nos dias mais frios

Veterinário compartilha dicas importantes para garantir saúde e bem-estar aos animais

Períodos de frio exigem algumas mudanças de hábitos para preservar a imunidade e manter o conforto, não é? Com os animais acontece o mesmo! Mas você, tutor, sabe como cuidar dos pets no inverno?

É preciso ter ainda mais atenção com os filhotes, que têm o sistema imunológico ainda imaturo, e com os idosos, que já podem ter suas defesas debilitadas. Pensando nisso, o médico-veterinário Drº Renato Costa, parceiro da Vetnil, dá algumas dicas para cuidar do seu animal durante as baixas temperaturas.

Antes de falar de como cuidar dos pets no inverno, Costa ressalta a importância das práticas de reforço à imunidade do cão ou do gato. “Por exemplo, para evitar algumas doenças, é fundamental que seja feita a vermifugação e a vacinação. Em alguns casos mais específicos, o veterinário do seu pet também pode recomendar a administração de prebióticos e probióticos — para melhorar a absorção de nutrientes — ou a suplementação de vitaminas, minerais e outros nutrientes”, declara.

Mas, o médico-veterinário ainda recomenda a adoção de alguns hábitos na sua rotina de cuidados no inverno, entre eles, a higiene. “Uma das principais dúvidas dos tutores com o cuidado dos pets durante o inverno é em relação aos banhos. Como manter seu amigo de quatro patas limpo sem causar desconforto a baixa temperatura? Em primeiro lugar, a frequência de banhos durante as épocas mais frias do ano deve diminuir. Por isso, também é importante que você evite que seu animal se suje tanto”, recomenda.

Quando for dar banho no pet, procure fazer isso nas horas mais quentes do dia e utilizando água morna, se possível, conforme orienta o veterinário. “Além disso, depois da ducha, deve-se ter um cuidado redobrado com a secagem para evitar que os pelos fiquem úmidos, o que facilita a proliferação de fungos e bactérias”, adiciona.

Além dos banhos, como destaca o profissional, todos os outros cuidados higiênicos devem ser mantidos normalmente, como a limpeza dos ouvidos e dentes e a escovação dos pelos, que devem fazer parte dos cuidados básicos com a higiene do pet.

Outro ponto que também merece uma atenção tão especial quanto o banho durante o frio é a tosa. “O pelo do animal mais cheio é uma forma natural de protegê-lo das baixas temperaturas, por isso, pode ser indicado diminuir a frequência da tosa também”, insere.

Outro ponto importante é a casinha, especialmente se o seu pet fica do lado de fora de casa. “O primeiro deles é se atentar à localização para ver se a habitação está protegida dos ventos mais constantes na região evitando assim que, em caso de chuva, o animal seja atingido. Outro ponto de atenção é evitar que a umidade do chão passe para dentro da casinha. Por isso, pode ser interessante mantê-la elevada, colocando sobre um degrau ou uma tábua de madeira”, ensina.

Além desses cuidados, o tutor também pode colocar alguns cobertores e até roupinhas para aumentar o conforto térmico do animal.

Proteger o pet do frio é uma forma de evitar doenças infecciosas muito comuns nos animais durante essa época do ano (Foto: reprodução)

Alimentação e exercícios

Durante os dias frios, é normal a gente sentir vontade de comer um pouco mais e alimentos mais calóricos também, não é? Isso acontece porque, para manter a temperatura corporal regulada, precisamos de um pouco mais de energia e isso também acontece com os pets. 

Por este motivo, no inverno, há, sim, uma necessidade de aumento de ingestão de caloria. Mas, atenção, para o clima do Brasil, o recomendado é de, no máximo, 20% de incremento sob recomendação do veterinário. Afinal, também é preciso se atentar à obesidade. 

No frio, também ficamos mais preguiçosos e isso pode acabar fazendo os tutores postergarem os passeios e atividades com os pets, mas isso não pode acontecer! “Os exercícios físicos são importantes para manter a saúde física e mental dos animais, inclusive colaborando para manter o peso ideal mesmo com o aumento de consumo calórico”, declara Costa.

Além disso, alguns cães e gatos idosos têm osteoartrite, uma dor articular que aumenta durante o período frio, sendo a manutenção de alguma atividade física uma recomendação importante para aliviar a dor — naqueles animais que estejam em quadros iniciais ou controlados (quando a dor não o impede de caminhar. “Se esse for o caso, é fundamental consultar o veterinário para providenciar o tratamento e controle da dor, antes de proceder com passeios”, indica.

Seguir essas dicas de como cuidar dos pets no inverno é fundamental para evitar doenças infecciosas muito comuns nos animais durante essa época do ano, como a rinotraqueíte felina e a tosse dos canis, principalmente em locais com diversos gatos e/ou cães.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Veterinário aborda a importância da vacinação contra a raiva para os pets e seus tutores

Doutorando da UFMG faz descoberta inédita sobre a piometra, infecção uterina em cães

Projetos de pesquisa permitem redução nos custos de Hemodiálise na FMVZ-Unesp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

bulldog inglês

Bulldogs ingleses apresentam o dobro dos problemas de saúde que outros cães

onça pintada

Ceará: Procurador-geral da Justiça e Ibama desejam mais centros de triagem de animais silvestres