in

Ceará: Procurador-geral da Justiça e Ibama desejam mais centros de triagem de animais silvestres

Esses centros tratam e reintroduzem no meio ambiente os animais resgatados ou apreendidos pelos órgãos fiscalizadores

Reunião ocorreu no dia 20 de junho, na sede da Procuradoria Geral de Justiça do Ceará (Foto: divulgação)

O procurador-geral de Justiça, Manuel Pinheiro, recebeu, no dia 20 de junho, a visita do superintendente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) no Ceará, Luiz Cesar Barbosa Lopes. A reunião, realizada na sede da Procuradoria Geral de Justiça, no Centro Administrativo do bairro Cambeba, em Fortaleza, foi solicitada pelo órgão ambiental para discutir o aumento do número de Centros de Triagem de Animais Silvestres no Estado (Cetas). Atualmente, segundo dados do Ibama, o Ceará conta com apenas um Cetas, enquanto que o ideal seria, pelo menos, quatro.

Além do PGJ e do superintendente do Ibama, participaram da reunião, representando o órgão ambiental: o chefe substituto da Divisão Técnico-Ambiental, José da Luz Alencar; a secretária de Gabinete do superintendente, Nayara Freitas; e o analista ambiental Walber Feijó.

Na reunião, o procurador-geral de Justiça destacou que o Ministério Público do Ceará (MPCE) atuará junto com o Ibama nessa questão. “Há uma quantidade muito grande de animais silvestres apreendidos todos os anos no Estado e a estrutura está muito aquém dessa demanda. O Ministério Público vai, junto com o Ibama, tentar articular a criação de um Fórum Estadual de Meio Ambiente para discutir essas e outras questões relacionadas à área e, a partir disso, buscar envolver os órgãos públicos, entidades da sociedade civil para que haja mais coordenação nas ações de proteção do Meio Ambiente”, reforçou Manuel Pinheiro.

Lembrando que os Centros de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) são órgãos gerenciados pelo Ibama ou por outras instituições ambientais cujo objetivo é tratar e reintroduzir no meio ambiente os animais silvestres resgatados ou apreendidos pelos órgãos fiscalizadores, bem como recepcionar os animais silvestres que tenham sido mantidos em cativeiro doméstico como animais de estimação.

Fonte: Ministério Público do Ceará, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Veterinário aborda a importância da vacinação contra a raiva para os pets e seus tutores

Doutorando da UFMG faz descoberta inédita sobre a piometra, infecção uterina em cães

Projetos de pesquisa permitem redução nos custos de Hemodiálise na FMVZ-Unesp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cão com frio

Alimentação e imunidade são alguns dos pontos de atenção com os pets nos dias mais frios

estresse

CRMV-BA alerta sobre os prejuízos dos fogos de artifício aos animais de companhia