in

CFMV apoia a criação do Dia Nacional da Saúde Única diante do Senado Federal

Muitas doenças podem ser melhor prevenidas e combatidas por meio da atuação integrada

A criação do Dia Nacional da Saúde Única foi debatida no dia 24 de junho, na Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) do Senado Federal.

A instituição da data foi requerida pelo Sistema Conselhos Federal e Regionais de Medicina Veterinária (Sistema CFMV/CRMVs), por meio do presidente do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Paraná (CRMV-PR), Rodrigo Távora Mira, ao senador Flávio Arns (Podemos-PR). A iniciativa foi apresentada no Projeto de Lei (PL) nº 1.837/2021, que tem como objetivo conscientizar a sociedade para a relação indissociável entre a saúde animal, humana e ambiental – a Saúde Única.

Na audiência, o presidente do CFMV, Francisco Cavalcanti de Almeida, foi representado pelo presidente do CRMV-PR, que enfatizou a necessidade do envolvimento de várias profissões na saúde única. “O grande desafio é consolidar o conceito multidisciplinar. Precisamos de políticas públicas e de comunicação entre as áreas envolvidas. O CFMV está à disposição para contribuir”, assinalou Mira.

Saúde Única é a relação indissociável entre a saúde animal, humana e ambiental (Foto: reprodução)

O Ministério da Saúde (MS) foi representado pelo médico-veterinário Francisco Edilson de Lima Júnior, que também é integrante da Comissão Nacional de Saúde Pública Veterinária (CNSPV) do CFMV. Ao abordar o cenário zoonótico no Brasil, falou da atuação da pasta na questão. “O conceito de saúde única já é abordado no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), mas ainda precisa ser institucionalizado, com projetos de comunicação, capacitação e normatização. Há algumas questões a serem superadas, como a falta de conhecimento e o pouco reconhecimento da importância do tema; necessidade de integração entre diferentes profissionais, instituições e órgãos; e alinhamento entre teoria e prática”, relatou.

Ao justificar a proposição do PL, o senador Flávio Arns explicou: “Muitas doenças podem ser melhor prevenidas e combatidas por meio da atuação integrada entre as Medicinas Veterinária, Humana e outras profissões de saúde. “A saúde única é fundamental para proteger a saúde e os meios de subsistência de todas as pessoas do planeta. A persistente pandemia de covid-19 demonstrou quão eficazes podem ser as parcerias multidisciplinares” afirmou.

Participação

Além dos representantes do CFMV e MS, a audiência pública, requerida pelo senador Flávio Arns (Podemos-PR) e conduzida pelo senador Paulo Paim (PT-RS), ouviu Christina Pettan-Brewer, membro-fundadora da One Health Brasil; Rodrigo Correia Oliveira, vice-presidente de Pesquisa e Coleções Biológicas da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz); e Tatiana Bragança de Azevedo Della Giustina, conselheira do Conselho Federal de Medicina.

Fonte: CFMV, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Buscar informações antes de adotar um pet é fundamental para evitar o abandono

Veterinário aborda a importância da vacinação contra a raiva para os pets e seus tutores

Doutorando da UFMG faz descoberta inédita sobre a piometra, infecção uterina em cães

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

fachada Pet Society

Pet Society destaca estrutura de nova fábrica e lançamento da linha Hello Kitty and Friends

aromaterapia

Dica aos veterinários: aromaterapia pode ser aliada para aliviar o estresse do dia a dia