in

Pitbull faz sucesso em redes sociais e ajuda a desmistificar ideias negativas sobre a raça

O tutor do cão Thor explica que ainda filhote o animal era chamado de “monstro”

A internet tem sido uma grande aliada na disseminação de informações, com isso, alguns tutores têm usado o espaço para falar sobre temas relevantes de saúde, brincadeiras e até mesmo abordar assuntos como, o preconceito acerca de algumas raças. Com o auxílio de um smartphone, os vídeos curtos que circulam pelas redes sociais geram conteúdos divertidos e informativos produzidos pelos cuidadores dos pets.

Uma das raças consideradas agressivas e associada a comportamentos violentos, é o pitbull. Segundo a organização norte-americana de proteção à natureza, One Green Planet, a raça segue como a de maior morte induzida em abrigos nos Estados Unidos. 

O rótulo de animal feroz nasceu no século 19, quando os cães eram usados em rinhas. Já na opinião de tutores que vêm se destacando na internet com perfis de pets, quando vídeos de ataques viralizam nas redes sociais o assunto é comumente tratado de forma rasa, o que contribui para o enraizamento da intolerância contra certas raças de pets.

Pitbull
O rótulo de animal feroz nasceu no século 19, quando os cães eram usados em rinhas (Foto: reprodução)

O fenômeno Thor

A fim de conscientizar e informar através das redes sociais, o bancário, Iago Barbosa, é tutor do pitbull Thor. Juntos eles produzem conteúdos explicativos sobre a raça. 

Apesar do pouco tempo de existência, o perfil “O Thor Pitbull” já faz enorme sucesso nas redes sociais, com 1M de seguidores no aplicativo Kwai. Nos vídeos são mostradas algumas peripécias do cachorro, além de esclarecer algumas dúvidas sobre a raça do animal. 

A ideia de começar a produzir o conteúdo surgiu quando Iago ao passear com seu animal de companhia percebia receio de outras pessoas, ao se aproximar do cão, outros até chamavam o pet de “monstro” sem ao menos ter algum tipo de contato e ainda filhote. Para mudar este estereótipo, decidiu criar um perfil no aplicativo e compartilhar imagens e vídeos que vão contra a opinião da grande maioria.

O tutor está muito feliz com a proporção que seus vídeos tomaram e como eles têm conseguido alcançar milhares de pessoas de maneira orgânica. “A internet está sendo fundamental para educar as pessoas e transformar a percepção acerca da má fama dos pitbulls, que são, na realidade, extremamente carinhosos, leais e inteligentes. Os aplicativos de vídeos curtos, como o Kwai, nos deram a oportunidade de crescer muito rápido e ter bastante visibilidade, tanto que em pouco tempo já conquistamos mais de 700 mil seguidores”.

Contudo, Iago fala sobre a luta contra o preconceito e sinaliza que, antes de querer adotar um pitbull é preciso responsabilidade. “Muitos cuidadores dessa raça acabam tendo atitudes ruins – e o cão acaba sendo um reflexo disso”, ressalta. “A lição que deixo é que devemos, acima de tudo, entregar amor sincero ao animal e assegurar espaço para ele brincar e gastar energia.”

Fonte: A.I, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Nas redes sociais, veterinário deve tomar cuidado para não ferir Código de Ética Profissional

Veterinário alerta sobre os problemas que bolas de pelos podem causar

Faculdade de Veterinária da UFRGS se destaca em ranking mundial de universidades

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

tártaro

Acúmulo de tártaro, além de causar o mau-hálito, pode prejudicar a saúde dos pets

pulga

Biovet lança Defend Pro, que protege os animais de companhia contra pulgas e carrapatos