in

Reflexo da pandemia na gestão das carreiras indica período de transformação

Setor do agronegócio e pet devem buscar adaptação rápida e assertiva para continuar se destacando no mercado

Para muitos especialistas em gestão de carreira, é preciso aceitar que os próximos meses serão definitivos para o ajuste profissional às novas demandas de consumo e ferramentas de trabalho. É o que acredita o médico-veterinário e conselheiro suplente do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo (CRMV-SP), Felipe Consentini, diante do caos provocado pela pandemia, que afetou o mundo nos últimos anos.

O profissional afirma que o ano de 2022 será marcado por uma janela de oportunidade aberta justamente no período mais crítico da pandemia. “Os setores do agronegócio e pet mantiveram suas atividades enquanto outros foram obrigados a fechar suas portas, esse fato impactou de maneira irreversível a vida dos profissionais”, avalia.

Consentini, que também atua como consultor do mercado pet, reforça que essa condição atípica exige ainda mais flexibilidade e aprimoramento profissional. “As mudanças de comportamento sociais, novos hábitos de consumo e as inovações tecnológicas derrubaram todas as fronteiras que limitavam a atuação do profissional, antecipando tendências previstas para ocorrer em cinco ou até dez anos”, sugere.

A médica-veterinária e consultora de Negócios e Agronegócio do Sebrae São Paulo, Jane Albinati Malaguti , aconselha os profissionais a refletirem sobre o fato de que, desde o início da pandemia, foi preciso se reinventar, se readequar e buscar novas formas de prestar seus serviços e vender seus produtos.

Adaptação e aprimoramento

A reviravolta no mercado pet e do agronegócio provocada pela pandemia, segundo Felipe Consentini, provocará alterações por um longo período de maneira “infinitamente mais positiva do que negativa” desde que a capacidade dos profissionais esteja “alinhada” a um perfil proativo, com capacidade de adaptação e busca constante por aprimoramento.

O consultor reforça que a construção de um perfil profissional multidisciplinar, multissistêmico e proativo sempre dependerá da educação continuada, agora mais acessível pelos meios digitais e lembra que é preciso “enxergar o todo e se conectar sempre em busca de soluções simples, ecológicas e eficientes para se destacar diante das tendências impostas pelo ‘novo normal’”.

Nunca foi tão evidente, segundo Jane, a urgência na busca por alternativas para atender aos novos padrões de consumo, fato que acelerou o surgimento de inovações desruptivas. “O isolamento social impulsionou uma série de ações e estratégias para garantir a sobrevivência dos negócios como, por exemplo, o fortalecimento das vendas on-line, o uso de ferramentas digitais, a atuação nas redes sociais para fazer negócios e atrair clientes e o desenvolvimento de novos produtos e serviços. Foi uma profunda transformação digital no dia a dia das empresas”, menciona,

Profissionais devem aproveitar os benefícios proporcionados pelo que a tecnologia tem de melhor, como acesso à informação e proximidade com o consumidor (Foto: reprodução)

Visão sistêmica

Doutoranda em Administração pela ESPM, com especialização em Gestão de Políticas Públicas pela Unifesp e mestrado em Gestão em Sanidade Animal e Segurança Alimentar e Ambiental, a consultora do Sebrae enfatiza aspectos comportamentais que exigem dos profissionais uma visão sistêmica do cenário atual  valorizando aspectos humanos, sociais e econômicos.

Segundo Jane, onde há crise, também surgem oportunidades. “Empreendedores ousados têm ajustado suas velas aproveitando os vendavais da pandemia a seu favor. Os negócios mais valorizados no mercado e que irão ganhar o coração dos clientes serão aqueles sintonizados com propósitos bem definidos de sua responsabilidade social, que tenham compromisso com o meio ambiente”.

Consentini indica que os profissionais aproveitem os benefícios proporcionados pelo que a tecnologia tem de melhor, como acesso à informação e proximidade com o consumidor. Obviamente, ressalta o médico-veterinário, os aspectos negativos como golpes e ‘fake news’ também crescem de maneira exponencial, exigindo cuidados redobrados, além de um senso de responsabilidade cada vez maior.

A consultora do Sebrae São Paulo aconselha que os profissionais fiquem atentos às questões humanísticas na construção de uma carreira que atenda demandas atuais do “consumidor que valoriza marcas éticas e sustentáveis e buscam serviços que estejam associados a um novo estilo de vida”.

Em tempos de instabilidade e mudanças, Jane sugere, ainda, que o profissional faça um autoquestionamento e busque soluções personalizadas à sua realidade empreendedora e aos desafios pessoais, seja como profissional autônomo ou colaborador de uma empresa.  

“Como moldar o negócio para acompanhar esses movimentos? Como empreender com mais segurança num cenário de tantas incertezas? A proposta de valor da empresa está alinhada com as necessidades do cliente e do mercado? Que atitudes ou habilidades precisam ser desenvolvidas? Diante dessas dúvidas, a palavra de ordem é estar ‘preparado’ para um aprendizado contínuo que vai além dos conhecimentos técnicos”, finaliza Jane.

Fonte: CRMV-SP, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Nas redes sociais, veterinário deve tomar cuidado para não ferir Código de Ética Profissional

Veterinário alerta sobre os problemas que bolas de pelos podem causar

Faculdade de Veterinária da UFRGS se destaca em ranking mundial de universidades

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

gato com coceira

Dermatite úmida aguda extensa em gatos requer uso de uso de glicocorticoides

palestra

Evento: CBNA anuncia programação provisória do XXI Congresso Pet 2022