Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Pets e Curiosidades

Relação entre tutores e pets influencia positivamente na saúde de ambos

Estudos demonstram que o vínculo humano-animal pode reduzir o risco de problemas cardíacos, depressão e outras doenças
Por Equipe Cães&Gatos
animais de companhia
Por Equipe Cães&Gatos

Estudos comprovam que a interação com animais é benéfica para a saúde de tutores e pets. Essa relação vem de longa data e cresceu nos últimos anos. Segundo o censo do Instituto Pet Brasil de 2021, o Brasil é o terceiro no mundo em número de animais domésticos, com 149,6 milhões. A adoção de pets saltou 400% durante o auge do isolamento social. De acordo com a consultoria alemã GFK, a preferência é pelos cachorros, presentes em 58% das casas brasileiras. 

Uma pesquisa realizada pela Universidade de Toronto aponta que a convivência com cães pode reduzir a mortalidade, principalmente por causas cardiovasculares. Outro estudo publicado no Scientific Reports corrobora que o risco de desenvolver doenças cardíacas é menor entre tutores de cães. “Diversas terapias são instituídas por meio da troca entre animais e pessoas. Um cão traz acolhimento, diminui o estresse, estimula atividades físicas e sociais de seus tutores”, explica a médica-veterinária e gestora na rede hospitalar WeVets, Ariane Bartholomeu, que complementa: “Caminhar regularmente ou brincar com seu pet pode diminuir a pressão arterial, os níveis de colesterol e triglicerídeos”. 

Um cão traz acolhimento, diminui o estresse, estimula atividades físicas e sociais de seus tutores
(Foto: reprodução)

Segundo a veterinária, a relação com pets é benéfica em todas as idades. “Muitas famílias adotam cachorros para estimular o senso de responsabilidade e empatia em crianças. No cenário da terceira idade, fase onde a mobilidade é reduzida, o animal traz companheirismo e estímulo físico, além de benefícios mentais”, diz Ariane. 

Como prova disso, 74% dos tutores relatam melhora na saúde mental em decorrência da relação com o pet, segundo dados do Human Animal Bond Research Institute (HABRI). O diagnóstico é validado pela doutora, que afirma: “Animais de estimação podem ajudar a controlar a solidão e a depressão, dando-nos companhia”. 

O que poucos sabem é que os pets também estão suscetíveis a problemas emocionais. Estudo da Universidade de Ghent, da Bélgica, mostra que cachorros têm conexões neurais mais fortes entre a amígdala, hipocampo, tálamo e lobo frontal. As disfunções dessas regiões podem levar a sintomas de depressão e ansiedade como mais medo, menos excitabilidade e menos treinabilidade. 

Nesse sentido, Ariane explica que a relação humano-animal é igualmente benéfica para o bem-estar dos cães: “É uma troca recíproca. Diversos cachorros têm estresse, agitação ou, até mesmo, agressividade acalmada somente pela presença de seus tutores”, finaliza.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães e Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Oncologia veterinária também demanda empatia com tutores

Julho Dourado alerta sobre a importância da imunização de cães e gatos

FMVZ-USP lança curso de MBA em Mercado Pet

NewsLetter

Cadastre-se agora e receba nossos boletins e atualizações em seu email. 

Integração
Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!