in

Veterinário cita os cuidados necessários com os pets durante o “inverno amazônico”

Apesar das altas temperaturas em algumas regiões, o Amazonas se encontra em período de chuvas e ar úmido

Ao contrário de outras regiões do País, que estão curtindo o verão, o Amazonas está no famoso “inverno amazônico”, caracterizado pelo aumento de chuvas e ar muito úmido, porém sem a queda brusca de temperatura, como ocorre no Sudeste, por exemplo. E, assim como os humanos, os pets também precisam de cuidados especiais para passar por essa temporada de forma saudável.

“Para os cães que ficam no quintal, o ideal é estar prevenido com as vacinas em dia. A de gripe deve ser aplicada anualmente, assim como para as demais viroses.  Para os de dentro de casa, o cuidado profilático da vacina também é válido. Utilizamos muito ar condicionado aqui e estes animais que ficam com seu focinho próximo ao chão sentem mais o frio, portanto é necessário ter o cuidado de tirar o pet dos quartos, porque o frio lá próximo ao piso está maior do que em cima onde aferimos”, explica o médico-veterinário conselheiro do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Amazonas (CRMV-AM) e vice-presidente da Anclivepa Amazonas, Estevão Leandro.

Além dos cães, os gatos também precisam das vacinas profiláticas, pois existem várias doenças como pneumonias e complexos virais que disseminam nesta época pela aglomeração pelo frio ou daquele tutor que faz confinamento com diversos animais em local de fechado disseminando e proliferando vírus e bactérias entre eles.

Roupas podem aumentar o abafamento da pele do animal, favorecendo o crescimento de ácaros (sarnas) e fungos (Foto: reprodução)

“Em alguns casos é preciso forçar a hidratação dos pets, principalmente os gatos, pois eles têm dificuldade em beber água e aumenta a incidência de problemas renais, cálculos vesicais e obstrução urinária”, esclarece o profissional.

Quanto a roupas, o veterinário ressaltou que tem animais que não toleram o seu uso, além de que ela pode aumentar o abafamento da pele, favorecendo o crescimento de ácaros (sarnas) e fungos que são os maiores problemas de casuística nos consultórios veterinários.

Em relação à alimentação, Leandro orienta que não se deve dar mais alimento que o normal ao pet, pois nesta época do ano eles se exercitam menos e acabam engordando com um volume maior de alimento ingerido. Além disso, é necessário manter a quantidade exata de alimento para o peso do pet e não substituir o alimento por petiscos – estes, se utilizados, devem ser de um total de 10% da quantidade de alimento oferecido.

“Uma dica é olhar na embalagem da ração uma tabela da dose diária de alimentação para seu pet, se você o alimenta duas vezes (café e janta) divida a dose diária em dois, se é três divida para três, mas obedeça a dose diária”, orientou Estevão.

Já para os pets que tomam banho em casa, o veterinário orienta que os donos os sequem muito bem e, de preferência, que ocorra em um dia de sol (conhecido como ‘tempo firme’) para melhor secagem dos pelos e a água em temperatura ambiente. Se for em pet shop, é importante avaliar se o animal sai bem sequinho. Além disso, é recomendável o maior espaçamento de tempo entre os banhos, pois estes mexem com a imunidade dos animais e envolve a retirada da proteção natural que eles têm que recobre sua pele.

“Lembre-se: a prevenção é o melhor remédio e custará apenas cerca de vinte por cento daquilo que você gastará se seu animal adquirir uma doença, além do risco de perdê-lo. Portanto, procure um médico-veterinário e solicite as medidas profiláticas!”, finaliza Leandro.

Fonte: CRMV-AM, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Nas redes sociais, veterinário deve tomar cuidado para não ferir Código de Ética Profissional

Veterinário alerta sobre os problemas que bolas de pelos podem causar

Faculdade de Veterinária da UFRGS se destaca em ranking mundial de universidades

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Na Paraíba, estudante de Medicina Veterinária é detida por práticas ilegais

tai chi chuan

Tai Chi Chuan se enquadra às necessidades pessoais e promove bem-estar