Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Pets e Curiosidades

Saiba como identificar e tratar a acne felina

As espinhas também afetam nossos amigos felinos e os tutores precisam ficar atentos com alguns sinais
Por Equipe Cães&Gatos
close de gato
Por Equipe Cães&Gatos

Você sabia que nossos amigos felinos também podem ter espinhas? Sim, isso mesmo! Hoje vamos falar sobre um tópico que pode ser novo para muitos de vocês: a acne felina.

- PUBLICIDADE -

Pode parecer estranho, mas nossos queridos bichanos podem sofrer com essas indesejáveis bolinhas, assim como nós, humanos. Mas não se preocupem, não é nada de outro mundo!

Vamos mergulhar no mundo dos cuidados com a pele dos gatos, explorando o que é, por que acontece, e o que podemos fazer para ajudar nossos amigos peludos a se livrarem dessas espinhas chatas.

Identificar a acne em nossos amigos felinos pode ser um desafio, especialmente quando há uma variedade de outras condições de pele que podem parecer similares (Foto: Reprodução)

O que é acne felina?

Primeiro, vamos ao básico: o que exatamente é acne felina? Bem, é muito parecido com a acne humana. Estamos falando de poros entupidos, inflamações, e até mesmo daqueles cravos chatos.

Geralmente, aparece em torno do queixo e da boca do seu gatinho, mas pode surgir em outras áreas também. E, assim como acontece com os humanos, pode variar de leve a grave.

Causas comuns da acne em gatos

Agora, você deve estar se perguntando: “Por que meu gato tem acne?” Bem, existem várias razões. Pode ser algo tão simples como o tipo de comedouro que ele usa ou mais complexo, como um desequilíbrio hormonal. Alguns são mais propensos a ter acne devido à sua genética, enquanto em outros, a higiene pode ser o fator chave. Estresse, alergias e até mesmo a dieta do seu gato podem influenciar. Um fator que pode contribuir para a acne felina é a higiene inadequada.

Alguns gatos, especialmente os de pelo longo, podem ter dificuldade em manter a área do queixo limpa, o que pode levar ao acúmulo de óleo e, consequentemente, ao desenvolvimento de acne. Limpezas regulares com um pano úmido podem ajudar a manter a área limpa e livre de óleo.

O estresse também é um fator que não deve ser ignorado. Gatos que estão estressados ou ansiosos podem desenvolver uma variedade de problemas de saúde, incluindo problemas de pele como a acne. Portanto, garantir um ambiente tranquilo e confortável para o seu gato é essencial para sua saúde geral e bem-estar.

Um fator que pode contribuir para a acne felina é a higiene inadequada (Foto: Reprodução)

Como reconhecer a acne em seu gato

Vamos começar com o básico: como você pode realmente reconhecer a acne no seu gato? É mais do que apenas uma questão de pequenos pontinhos pretos.

A acne felina pode se manifestar de várias formas:

  • Pequenas lesões;
  • Inchaços vermelhos ou pretos no queixo, lábios e até mesmo ao redor da cabeça.

Alguns gatos podem até apresentar coceira e desconforto. Mas espera aí, nem tudo que aparece na pele do seu gato é necessariamente acne. Precisamos diferenciar a acne felina de outras condições de pele, como alergias, infecções ou até mesmo parasitas. É super importante saber a diferença para garantir que seu gato receba o tratamento adequado.

Diferenciando acne de outras condições de pele

Identificar a acne em nossos amigos felinos pode ser um desafio, especialmente quando há uma variedade de outras condições de pele que podem parecer similares. A acne felina tipicamente aparece ao redor do queixo e da boca, manifestando-se como pequenas protuberâncias pretas ou vermelhas, semelhantes aos cravos e espinhas em humanos. Em contraste, outras condições de pele, como alergias, podem causar vermelhidão e coceira em diferentes partes do corpo, não se limitando apenas ao queixo.

Infecções bacterianas são outra condição que pode ser confundida com acne. Enquanto a acne é caracterizada por pontos negros ou brancos na pele, as infecções bacterianas podem causar feridas abertas, perda de pelo e até secreção. Essas infecções geralmente requerem tratamento antibiótico, ao contrário da acne, que pode ser tratada com limpezas regulares e, em alguns casos, medicação tópica.

Outro problema comum de pele nos gatos são os parasitas, como pulgas e ácaros, que causam irritação intensa, perda de pelo e arranhaduras excessivas. Estes sintomas são bastante distintos da acne e exigem um tratamento específico para parasitas.

É sempre melhor prevenir e buscar uma opinião profissional do que esperar até que o problema se torne mais sério (Foto: Reprodução)

É importante observar também que, enquanto a acne felina não costuma causar grande desconforto ao gato, outras condições de pele podem levar a comportamentos alterados, como lambedura excessiva, arranhões, e até mesmo letargia ou mudanças no apetite. Em resumo, enquanto a acne felina pode ser um incômodo estético, outras condições de pele podem indicar problemas de saúde mais sérios. Se você estiver incerto sobre a condição da pele do seu gato, a melhor abordagem é sempre consultar um veterinário. Eles poderão fazer um diagnóstico correto e indicar o melhor tratamento para manter a saúde e o bem-estar do seu companheiro felino.

Opções de tratamento para acne felina

Então, seu gatinho foi diagnosticado com acne… O que fazer agora? Felizmente, existem várias opções de tratamento, dependendo da gravidade do caso.

Podemos falar sobre limpezas suaves, medicamentos tópicos, e em casos mais severos, até tratamentos mais intensos prescritos pelo veterinário. Lembre-se: cada gato é único, então o que funciona para um pode não ser ideal para outro. Vamos encontrar o melhor caminho para o seu amigo felino ficar com a pele limpinha e saudável!

Quando levar seu gato ao veterinário

Seu gato tem espinhas persistentes que não melhoram com os cuidados caseiros? Está coçando muito ou parece desconfortável? Esses são sinais claros de que uma visita ao veterinário é necessária. Outros indicativos incluem lesões que parecem inflamadas ou infectadas, ou se o comportamento do seu gato mudou de alguma forma que sugira desconforto ou dor.

Lembre-se, é sempre melhor prevenir e buscar uma opinião profissional do que esperar até que o problema se torne mais sério.

Fonte: Portal do Dog, adaptado pela Equipe Cães e Gatos.

LEIA TAMBÉM:
Gatos podem ter autismo?
Por que os gatos gostam de “amassar pãozinho”?
CRMV-RJ faz alerta sobre o uso de ‘chumbinhos’ no controle de roedores

Compartilhe este artigo agora no